A arte como estímulo do processo de aprendizagem na educação infantil

* Taís Oliveira

A criança é competente e ativa no próprio processo de aprendizagem, com necessidades, motivos e interesses próprios. No entanto, cabe ressaltar que a infância, mesmo tendo este status resguardado não está desprovida de preocupações, e nesta fase o cuidar é essencial.

Na educação infantil, o educar e o cuidar andam juntos, respeitando a fase em que cada criança se encontra e sua individualidade, pois a criança é um ser que aprende com si mesma e com o mundo que o cerca, tendo um processo de aprendizagem singular e característico de cada fase do desenvolvimento, é um ser que sente e pensa o mundo de um jeito muito próprio, precisando ser compreendida e respeitada a partir de suas necessidades e singularidades, como ser em constante desenvolvimento social, psicológico, cognitivo e biológico.

Para que a criança se desenvolva de forma integral, é importante buscar recursos diversos para trabalhar na educação infantil, com o objetivo de despertar o interesse das crianças, e consequentemente, o prazer em aprender. Surge então a arte como um importante recurso de estímulos na educação infantil.

A arte é utilizada como recurso fundamental no processo educativo, fazendo com que este ganhe sentido, dando oportunidades para que a criança sinta-se livre para expressar muitas vezes aquilo que não consegue falar, o seu eu interior, e as suas imagens inconscientes. Com grande poder terapêutico, a arte tem seu uso reconhecido como facilitador de aprendizagens, libertando o indivíduo para expressar seus sentimentos, vontades, angústias e dificuldades que se manifestam a partir de seus comportamentos e atitudes. (BARBOSA, 2002)

O uso da arte em atividades na educação infantil tem como objetivo liberar e resgatar o potencial criativo e imaginativo, integrando socializando o indivíduo através da arte e do lúdico, criando um espaço que valorize seus aspectos afetivos, sociais e cognitivos, descobrindo o prazer e a importância da sua criação, sentindo-se livre para expressar seus desejos e conflitos.

Ao ingressar na Educação Infantil, a criança se vê diante de uma situação desconhecida e em um ambiente que ainda não lhe é familiar, o que muitas vezes acaba gerando insegurança e medo. A arte tem poder tranquilizante e curativo, servindo como um meio de superar traumas e conflitos interiores, permitindo ao indivíduo aproximar-se de seu universo interior e com o mundo que o cerca.

Ao trabalhar com a arte na educação infantil, é possível criar um espaço terapêutico onde seja possível aliviar a ansiedade do aluno, controlar a agressividade, facilitar as aprendizagens, aumentando sua autoestima, confiança, bem estar, e o prazer de viver. Quando falamos em arte, não nos referimos a ela somente no sentido de desenhos e pinturas, mas sim, nas linguagens plásticas, sonoras, dramáticas, corporais e literárias.

COLL (1995) também fala sobre a importância do uso da arte para a expressão de sentimentos e emoções, pois ela libera a criança do estresse, diminui a angústia e a tensão. Utilizando a produção e apreciação artística, a criança vai desenvolvendo sua percepção, sensibilidade, imaginação, criticidade e criatividade, ampliando aptidões de leitura de mundo e resolução de conflitos.

Segundo Jung 1920 a “arte é a expressão mais pura que há para a demonstração do inconsciente de cada um. É a liberdade de expressão, é sensibilidade, criatividade, é vida”. A arte também constitui um equilíbrio entre emoções e sentimentos, sendo um meio de expressão e comunicação do pensamento, podendo dar a liberdade a criança de expressar tudo aquilo que gosta e até o que a incomoda (mesmo que de modo inconsciente).

Através do uso de atividades artísticas na educação infantil é possível estimular a percepção e órgãos sensoriais, permitindo maior flexibilidade no olhar, criatividade, imaginação, superando seus limites e descobrindo seus talentos, ampliando sua leitura de mundo, resolução de problemas, construindo um equilíbrio entre intelecto e emoções. Com a arte, também é possível superar a indisciplina, insegurança, e socialização.

As instituições de educação infantil tem o papel de desenvolver todas as formas de linguagem, fazendo a mediação entre a criança e o objeto, possibilitando seu acesso às fontes de conhecimento. Os espaços educativos desempenham um papel fundamental para possibilitar o desenvolvimento e a aprendizagem das crianças.

Na etapa de educação infantil, provocar a aprendizagem e o desenvolvimento das crianças pequenas significa ajudá-las a progredir na definição da própria identidade, no conhecimento e na valorização de si mesmo, tanto pelo que são capazes como por suas limitações. Sendo assim, o uso da Arte como recurso promotor de aprendizagem na educação infantil é um importante recurso de estimulação e comunicação, que favorece a expressão de sentimentos, a valorização da autoestima, socialização, construção de conceitos, a libertação de bloqueios de aprendizagem, traumas e insegurança, e principalmente, o prazer em aprender e se desenvolver.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARBOSA, Ana Mãe (Org.). Arte-Educação: Leitura no subsolo. Cortez Editora. 4ª Edição. São Paulo. 2002.

COLL, C et al. Desenvolvimento psicológico e educação. Porto Alegre, Artes Médicas, 1995.

JUNG, C. G. Definições (1920). In: Obras completas. Rio de Janeiro: Zahar, 1967. v. 6.