Testemunha ouvida em Soledade era amiga de Edelvânia

Ela afirma que esteve em Frederico Westphalen visitando a Assistente Social três dias antes do menino Bernardo desaparecer

Por TJRS em 17/09/2014

   

(Foto: Algemiro Junior / Rádio Soledade AM)
Testemunha ouvida em Soledade era amiga de Edelvânia

Uma amiga íntima da Edelvânia Wirganowicz depôs nesta quarta-feira, 17/9, no Foro da Comarca de Soledade. A oitiva foi colhida pela Juíza Karen Luize Souza Pinheiro, titular da Vara Criminal, e será anexado aos demais depoimentos que já foram feitos e integram o processo que apura a morte do menino Bernardo Uglione Boldrini.

A testemunha disse que esteve em Frederico Westphalen no dia 1°/4 e dormiu na cidade porque iria substituir o carro. No dia seguinte, almoçou com Edelvânia Wirganowicz. Após, foram ao apartamento de Assistente Social, que começou a fazer confidências sobre Graciele e pediu segredo. Contou que ela estava casada com um médico, com quem tinha uma filha, e que o enteado era esquizofrênico.

Porém, afirmou que a confidência foi interrompida com a chegada inesperada de Graciele que, apesar de surpresa com a visitante, repetiu o relato. A testemunha, que já trabalhou em área psiquiátrica de hospital, aconselhou cuidado ao ministrar os medicamentos para o menino. Disse que conhecia Graciele de vista da época em que Edelvânia e Graciele moravam juntas em Frederico Westphalen.

Depois que Graciele foi embora, ficou ainda por algum tempo com Edelvânia. Disse não saber do motivo da visita de Graciele. Porém, a testemunha referiu que depois do encontro, Edelvânia passou a ligar com mais frequência. Atribuiu a atitude ao fato de ser esposa de policial civil da região e para sondar se tinha revelado que viu as duas juntas às vésperas do crime.

Informou que Edelvânia é de origem humilde, mas que não tinha nenhum fato anterior que a desabonasse. Ratificou não saber do plano do crime. Acredita que Graciele convidou Edelvânia para batizar filha com Leandro pela relação de gratidão que vinha dos tempos em que moraram juntas, recebia bastante apoio da amiga. O depoimento durou cerca de uma hora.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade