Só 47 dos mais de 7 mil cursos avaliados no Enade são considerados 'top'

24 instituições, três delas privadas, respondem pelos cursos. Mais de um terço dos cursos são insatisfatórios, segundo MEC.

Por Bruno Quevedo em 04/09/2009

   

nao. (Foto: )

por Rafael Targino Do G1, em Brasília e Fernanda Calgaro Do G1, em São Paulo

Somente 47 cursos superiores, dos 7.329 avaliados pelo Ministério da Educação (MEC) no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) em 2008, estão entre os “top” no país. Eles foram os únicos a obter a nota máxima (conceito 5) nos três principais quesitos -nota do Enade, IDD (índice que mostra o quanto a instituição agregou ao aluno) e Conceito Preliminar de Curso (CPC), que reúne a nota do Enade, o IDD, a titulação dos professores e a infra-estrutura.

Na outra ponta, 663 cursos tiveram desempenho insatisfatório (nota 1 ou 2) nesses três indicadores, o que significa que 23 mil estudantes que receberam o diploma no ano passado se formaram em cursos fracos.

Quando considerado apenas o CPC, no qual o MEC se baseia para definir que instituições serão supervisionadas, o cenário é ainda mais crítico: 1.566 cursos ficaram com conceito 1 ou 2, o equivalente a 32% do total de cursos que têm nota (4.819). Os 2.510 cursos que ficaram sem conceito, por não atingirem número suficiente de participantes, não entraram nesse cálculo.

Mais uma vez, as instituições públicas lideram o ranking: 93 aparecem com CPC 5, ante 12 particulares. Os resultados foram divulgados na quinta-feira (3).

O Enade é aplicado a cada três anos para o mesmo grupo de cursos. Na edição 2008, foram avaliados cursos de 30 áreas. Quase 400 mil estudantes do primeiro e do último ano fizeram a prova em novembro passado. Foi o último ano em que os alunos foram convocados por amostragem. A partir deste ano, a prova será obrigatória para todos os estudantes dos cursos selecionados.

Na edição 2008, os cursos avaliados foram: arquitetura e urbanismo, biologia, ciências sociais, computação, engenharia, filosofia, física, geografia, história, letras, matemática, pedagogia e química.

Também foram avaliados os cursos superiores de tecnologia em construção de edifícios, alimentos, automação industrial, gestão da produção industrial, manutenção industrial, processos químicos, fabricação mecânica, análise e desenvolvimento de sistemas, redes de computadores e saneamento ambiental.

Cursos top

As 47 graduações top estão distribuídas por 24 instituições. Entre elas, aparecem só três privadas, que concentram seis desses cursos.

A instituição com mais cursos top –nove– é a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp): ela é nota cinco em matemática (em Ilha Solteira), letras (em São José do Rio Preto), química (em Bauru e Presidente Prudente), biologia (em São José do Rio Preto e Assis) e pedagogia (em São José do Rio Preto, Bauru e Marília).

A Universidade Federal de Viçosa (UFV) tem cinco cursos com conceitos máximos: física, arquitetura e urbanismo, bacharelado em ciência da computação, engenharia de agrimensura e no chamado grupo seis de engenharia, que engloba as engenharias de produção.

Entre as particulares na lista, estão o curso de filosofia da Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE, de Belo Horizonte), os de pedagogia, história, ciências sociais e engenharia eletrotécnica da PUC do Rio de Janeiro e o curso de história da Universidade Cruzeiro do Sul, de São Paulo.

Os cursos da Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) não constam do ranking porque a instituições decidiram não participar do Enade por discordar da metodologia.

Para saber os resultados completos do Enade 2008, acesse http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/0,,MUL1292048-5604,00-CONFIRA+OS+MELHORES+E+PIORES+CURSOS+NO+ENADE.html

Fonte: g1.globo.com

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade