Mudanças nos talões de produtor e segurança pública foram pautas da reunião da Amasbi

Associação esteve reunido na sexta-feira, 26/02, no município de Nicolau Vergueiro

Por Redação em 04/03/2016

   

(Foto: Divulgação / Prefeitura TH)
Mudanças nos talões de produtor e segurança pública foram pautas da reunião da Amasbi

Na sexta feira 26 de fevereiro foi realizada em Nicolau Vergueiro mais uma reunião da Amasbi – Associação dos Municípios do Alto da Serra do Botucaraí -. O prefeito de Tio Hugo Verno Aldair Müller participou do encontro juntamente com a primeira dama Ivani Müller, a diretora de cultura e turismo do município Caroline Marquetti e a chefe de gabinete Valduze Back Vollmer.

Durante a reunião foram pautados importantes assuntos que interessam diretamente as municipalidades que constituem a Amasbi. Entre os mais destacados está a nova medida anunciada pelo Governo do Estado em relação a substituição dos talões de produtor pelo sistema de nota fiscal eletrônica. Em um primeiro momento a secretaria estadual da Fazenda estipulou prazos para que os produtores se encaixem neste novo sistema.

Até outubro de 2016 aqueles que possuem cadastro como empresa - CNPJ – devem obrigatoriamente emitir nota fiscal eletrônica, sendo invalidada a utilização do bloco de produtor. Para os produtores que atuam como cadastro de pessoa física o prazo é mais extenso, sendo estipulado para fevereiro de 2017. O Governo do Estado pretende substituir a emissão de talões de produtores pela plataforma on-line através do sistema de nota fiscal eletrônica, para economizar cerca de R$ 8 milhões por ano, valor gasto na emissão dos talões. Os produtores ficariam responsáveis por emitir a nota assim que efetivasse a venda do seu produto.

O prefeito de Tio Hugo Verno Aldair Müller destaca que há ainda um longo caminho para ser percorrido em relação a esta medida, e que os gestores estão preocupados já que existem muitas propriedades rurais que não possuem acesso a internet, visto que o sinal é falho devido as irregularidades do relevo da região. “Essa é uma medida polêmica. Os produtores estão acostumados com uma realidade diferente neste momento. Certamente a tecnologia veio para nos auxiliar, no entanto, não podemos acelerar este processo, já que uma mudança desta natureza demanda uma adequação dos produtores rurais”, disse.

Este tema seguirá em pauta, uma vez que os gestores buscarão uma agenda com o estado para discutir essa medida.

Segurança Pública

Muito comentado nos últimos anos, a segurança pública é um tema que causa preocupação nas autoridades da região. Durante o encontro os prefeitos discutiram e definiram diretrizes para buscar a ampliação do efetivo da Brigada Militar na região. Municípios como Tio Hugo, Mormaço, Ernestina e Ibirapuitã contam apenas com o policiamento itinerante, ou seja, devido a falta de efetivo os brigadianos formam uma ronda que circula pelas municípios que, em boa parte do dia ficam sem policias atuando na segurança.

“Estamos em contato permanente com o estado para reverter essa situação a qual vivemos atualmente na segurança dos nossos municípios. Aqui em Tio Hugo estamos investindo aproximadamente R$ 400 mil na instalação de câmeras de videomonitoramento para tentar coibir a ação de meliantes, e ajudar a polícia nas investigações a crimes. No entanto, a forma mais efetiva de garantir a segurança dos nossos munícipes é com o policiamento ostensivo, e no momento estamos lutando para garantir a presença contínua de policiais no nosso município”, enfatizou o prefeito de Tio Hugo.

Ainda durante o encontro foram tratados assuntos sobre o turismo na região. A próxima reunião da Amasbi acontece no dia 18 de março em Itapuca durante a I Feira Agroindustrial, Artesanal, Comercial e de Serviços. Nesse encontro será realizada a eleição da nova diretoria, inclusive com a escolha do novo líder da associação.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade