Índice de inadimplência em Soledade chega a 36,7% conforme o SCPC

O percentual aponta que aproximadamente 11 mil soledadenses apresentam algum tipo de dívida no mercado

Por Lucas Bicudo em 25/08/2016

   

(Foto: Lucas Bicudo / ClicSoledade)
Índice de inadimplência em Soledade chega a 36,7% conforme o SCPC

A falta de política de crédito e ferramentas para análise de crédito podem ser as causas para que Soledade apresente um índice de inadimplência de 36,7%. As informações são da SCPC Boa Vista, que na quarta-feira, 24/8, esteve proferindo uma palestra para os sócios da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Soledade (ACIS).

Jose Carina Cunha, supervisora comercial regional da CDL Porto Alegre-SCPC Boa Vista, salienta que os dados são de julho de 2016. “Se considerarmos a população do município, que segundo o IBGE é de 31,2 mil habitantes, aproximadamente 11 mil soledadenses estão com algum tipo de inadimplência, percentual considerado bastante alto”, assinalou.

Levando em consideração o perfil destas pessoas que estão com algum tipo de pendência no mercado local, os que possuem mais de 56 anos lideram o ranking, com 26,49%, seguido pelos que tem idade entre 46 a 55 anos, com 22,77%, os de 36 a 45 anos, com 21,88%, os de 26 a 35 anos, com 18,66%, e os de 18 a 25 anos, com 10,20%. Se for classificar por gêneros, o percentual fica assim classificado: homens com 42,7% e mulheres com 43%.
acis-1
A palestrante também apresentou a classificação de risco de inadimplência, que em Soledade é a seguinte: altíssimo risco, com 37,8%; baixíssimo risco, com 34,7%; baixo risco, com 13%; médio risco, com 9,7%; e alto risco, com 4%.

Quanto a classe social dos soledadenses, 56,1% estão na C2, que recebem entre 1 e 2 salários mínimos. Na sequência vem a classe D, com 16,4%, com vencimentos entre ½ até 1 salário mínimo, seguida da B2, com 13,8%, com faixa salarial de 3 a 5 salários mínimos.

Por fim, aparecem a C1, com 11,3%, que recebem entre 2 e 3 salários mínimos, a B1, com 2,3% e vencimentos entre 5 a 10 salários mínimos, concluindo com a A2, com 0,2%, com faixa salarial maior que 10 a 20 salários mínimos.

Jose salienta que conceder crédito implica em aceitar riscos, mas também requer conhecimento do tomador de crédito e necessita de políticas adequadas. “Nós da SCPC atendemos a necessidade do comércio, indústria e prestadores de serviço, oferecendo apoio na tomada de decisão para concessão de crédito”, observou.

A palestrante apresentou as soluções que a SCPC oferece, que incluem ciclo de negócios, prospecção, concessão de crédito, gerenciamento de carteira e cobrança. “Dispomos de todas estas ferramentas, além de termos o maior banco de dados nacional de Pessoa Física e Jurídica, utilizadas pelas maiores redes de varejo do país”, garantiu.

Recuperação de Créditos
Na ocasião, também foi apresentado uma campanha para recuperação de créditos, desenvolvida em parceria com ACIS e SCPC Boa Vista. Todos os associados que realizam vendas para pessoa física ou jurídica serão convidados a participar.

O objetivo é aumentar a recuperação da inadimplência, bloquear os inadimplentes a comprar no mercado e evitar o endividamento. “Num primeiro momento vamos incentivar as empresas a negativarem quem está devendo. Posteriormente, também estimularemos que as pessoas procurem os estabelecimentos para renegociarem suas dívidas e voltarem a ter crédito”, assinalou Evaristo Junior Freitas, gerente de Desenvolvimento da ACIS.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade