Recuperação de estradas vicinais é prioridade da Região na Consulta Popular 2017

Três demandas irão dividir recurso de R$ 2,28 milhões para o Alto da Serra do Botucaraí no orçamento 2018 do RS.

Por Fernando Martins em 09/08/2017

   

(Foto: Divulgação / Prefeitura Soledade)
Recuperação de estradas vicinais é prioridade da Região na Consulta Popular 2017

Foram divulgados os resultados da Consulta Popular 2017, realizada em todo Estados nos dias 1º, 2 e 3 deste mês. Na Região do Botucaraí, a população escolheu como prioridade, a recuperação de estradas vicinais.

De acordo com os resultados divulgados, 8.679 votos foram para a demanda “Atrair recursos para promover melhorias nas estradas vicinais rurais”, a qual receberá o percentual de 70% do valor total destinado à região, ou seja, R$ 1.596.000,00. A segunda demanda mais votada foi “Fortalecer os hospitais microrregionais para o atendimento de Alta Complexidade”, que obteve 4.458 votos e com isso receberá R$ 342.000,00, que serão destinados aos hospitais de Soledade e Espumoso. E com 1.417 votos, a demanda “Ampliar a oferta de leitos hospitalares e atendimentos nas unidades básicas de saúde”, ficou em terceiro lugar nas prioridades votadas.

Juntas, estas demandas somam o montante de R$ 2,28 milhões que serão destinados aos 16 municípios do Alto da Serra do Botucaraí através do orçamento estadual de 2018. Confira a votação em cada um dos municípios:

RANKING ESTADUAL

Em comparação aos demais Coredes, a região do Alto da Serra do Botucaraí teve um total de 17.740 votantes. Este número corresponde a 21.5 % do total de pessoas que poderiam participar do processo. Nas três etapas iniciais do processo participaram 32.000 pessoas que somadas aos 705.835 votantes, totalizam 737.835 gaúchos envolvidos com a Consulta Popular.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade