Greve de funcionários do Hospital Frei Clemente poderá ter trégua

Repasse de verbas estaduais e federais poderá possibilitar o pagamento de salários nesta quarta-feira (25)

Por Redação em 25/10/2017

   

(Foto: Divulgação)
Greve de funcionários do Hospital Frei Clemente poderá ter trégua

O Sindisaúde e a direção do Hospital de Caridade Frei Clemente de Soledade realizaram uma reunião na terça-feira, 24/10. Durante as conversas, se deu encaminhamentos para uma possível trégua na greve dos funcionários da casa de saúde, que já dura 14 dias. O motivo do acordo seria o possível repasse de verbas estaduais e federais para pagamento de salários.

De acordo com a assessoria de imprensa do Sindicato, nesta quarta-feira (25), o presidente do HCFC, Sebastião Avani da Silva, explicou que se confirmar-se o pagamento dos 30% restantes do MAC - Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar, (verba federal), e os incentivos de julho (verbas estaduais), deverá ser pago o salário de setembro.

A administração do hospital também se mostrou disposta a fechar um acordo coletivo, mantendo o adicional noturno em 40% para todos os funcionários e retomar o pagamento de insalubridade que havia sido retirado das folhas salariais. Igualmente deverá ser fechado o acordo para a instituição de horário de trabalho para todos, de forma igualitária em 40 horas semanais.

O encontro teve a presença do administrador do Hospital, Adairto Forti, do presidente da Federação dos Trabalhadores em Saúde do RS – FEESSERS, Milton Kempfer, da presidente do Sindisaúde Passo Fundo, Terezinha Perissinotto, do advogado Everton De Ré e as diretoras do Sindicato, Maria Tedesco, Ivanir Fornari Gomes, Maria Cristina Oliveira da Silva e Leila Maronezi.

Lutas da categoria
Com a proximidade da entrada em vigor da Reforma Trabalhista, prevista para o dia 11/11, a presidente Terezinha Perissinotto está preocupada com o futuro dos trabalhadores e o desmonte dos direitos adquiridos. “É preciso fortalecer cada vez mais o Sindicato, apostar no fortalecimento da categoria através da união de esforços e manter a mobilização sempre”, disse.

Participação da FEESSERS
A Federação dos Trabalhadores em Saúde do RS acompanha de perto a situação em Soledade. De acordo com o presidente Milton Kempfer, esta mesma situação está sendo vivenciada em Tupanciretã, no Hospital Brasilina Terra, também em greve, e em outras instituições onde ocorrem atrasos salariais, falta de pagamento de férias, 13º, FGTS e INSS”.

Para ele, “ a grande responsabilidade sobre esta crise, cada vez mais intensa no estado, é do governador José Ivo Sartori, que não priorizou em momento algum a saúde, cortou os investimentos dos hospitais e investimentos na área, não cumpre sequer o determinado na CLT e arrasta os trabalhadores neste jogo, onde sabemos que dinheiro existe e certamente vai aparecer em período pré-eleitoral”, afirmou o dirigente.


*Com informações do Sindisaúde Passo Fundo.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade