4ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal tem nova chefia

Trecho da BR-386 na região de Soledade faz parte da jurisdição da 4ª DPRF.

Por Redação em 10/04/2018

   

(Foto: Divulgação / PRF)
4ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal tem nova chefia

A 4ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal no Rio Grande do Sul, com sede em Lajeado, tem nova liderança. A informação foi publicada no Diário Oficial da União na segunda-feira (9).

Ronaldo Becker Brito, que era chefe da 4ª Delegacia desde o dia 16 de março de 2016, fará parte da Comissão de Mobilização e Desmobilização da Sede Regional da PRF, que terá novo prédio. Desta forma, deixa o cargo que ocupava na delegacia. O mesmo acontece com João Alberto Ferreira, que estava à frente do Núcleo de Policiamento e Fiscalização (NPF).

Para substituí-los, foram designados os PRFs Paulo Reni da Silva (como Chefe da Delegacia) e Luis Alberto Coutinho (Chefe do NPF). Ambos já estão atuando nas funções desde o início deste mês.

Na despedida, Brito agradeceu emocionado o apoio da família e dos colegas e desejou sucesso aos novos líderes: "Há uma dor em meu peito e uma alegria na minha história. Sorte e força aos nobres e competentes colegas que ora assumem a condução da Delegacia".

Paulo Reni, que já esteve à frente da delegacia em outros momentos, uma vez que era o Chefe Substituto, disse que o objetivo central do trabalho será a redução do número de acidentes, especialmente os graves. Ele também enfatizou a importância da integração entre a PRF e as outras entidades, bem como do apoio da sociedade.

"Não podemos aceitar como natural um alto número de acidentes graves e mortes, trabalharemos fortemente, contando com o apoio de outras instituições, da sociedade e da imprensa, a fim de reduzirmos esses acidentes", afirmou o novo líder da delegacia.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade