Ourives de Soledade cria coroa do Miss Rio Grande do Sul Be Emotion

Jonas Fitz é quem está produzindo a peça que vai ser usada por aquela que for eleita a mulher mais bonita do Estado

Por Lucas Oliveira Bicudo em 11/04/2018

   

(Foto: Mateus Fitz / Divulgação)
Ourives de Soledade cria coroa do Miss Rio Grande do Sul Be Emotion

A coroa que vai ser entregue a Miss Rio Grande do Sul Be Emotion 2018 está sendo produzida em Soledade. A criação é do ourives Jonas Fitz, que já está na finalização da peça que será usada por aquela que for eleita a mulher mais bonita do Estado. Alguns elementos da cultura gaúcha serviram de inspiração na elaboração da joia.

Jonas comenta que recebeu total liberdade para criar. Em seu trabalho de pesquisa, usou como referência Ieda Maria Vargas. “A cor de seus olhos vai estar presente nas pedras, assim como as curvas do penteado que usava. Outro elemento que utilizo é a curvatura das costas e do rabo do cavalo, além de algumas formas da cuia de chimarrão e traços da flor brinco de princesa”, revelou.

Após fazer o esboço da coroa no papel, já na segunda versão teve a aprovação da coordenação do concurso. A partir disso fez o 3D da peça e iniciou a produção, que foi dividida em duas partes. “Primeiramente fiz a construção da estrutura, toda ela a mão. Posteriormente será realizado o preenchimento, todos estes detalhes projetados em uma impressora 3D”, explicou.

Jonas relata que a maioria das pedrarias utilizadas serão naturais, como uma variedade de quartzos lapidadas por ele, além da estrutura ser banhada em ouro ou prata. “O interessante é que após a coroa pronta, teremos a união de elementos clássicos com o tecnológico. Desde o processo de criação até a entrega final vou levar em torno de 30 dias”, afirma.

Ele diz que cada trabalho que faz é especial, porém considera este do Miss Rio Grande do Sul Be Emotion 2018 um dos mais significativos. “Quando produzo uma peça para algum cliente particular, esta relação é mais íntima. Já agora é totalmente diferente, pois se trata de um evento público, reconhecido e importantíssimo”, avaliou.

A relação que Jonas tem com a ourivesaria vem de família, já sendo a terceira geração. Ele recorda que quando tinha 9 anos, no turno inverso a escola, ficava na loja de seu pai, o ourives Breno Fitz, e que seus brinquedos eram as ferramentas da joalheria. Aos 14 anos entrou na primeira turma de lapidação manual no Senai em Soledade.

Pouco tempo depois começou a se destacar neste ramo, ora trabalhando com lapidação e criando produtos, ora dando cursos e assessorias. Um dos momentos marcantes de sua trajetória é quando, em 2015, vai para a Argélia juntamente com um grupo de quatro professores dar treinamento na produção de joias.

Atualmente, continua criando peças exclusivas e também é sócio de Fernando Rocha na fabricação da impressora Rocha 3D. “Considero que todas as coisas boas que aconteceram na minha vida é fruto de uma sorte muito grande, em estar nos lugares certos e aproveitando as oportunidades que surgiram”, concluiu Jonas.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade