Cursos estimulam atividade apícola na região de Soledade

A atividade é coordenada pelo assistente técnico regional de Produção Vegetal, Vivairo Zago, com o apoio dos extensionistas dos escritórios municipais.

Por Redação em 01/11/2018

   

(Foto: Carina Venzo Cavalheiro / Emater)
Cursos estimulam atividade apícola na região de Soledade

Com vistas a motivar o produtor a investir na atividade apícola, tornando-a mais eficiente, melhorando a produtividade e a qualidade do produto, bem como profissionalizar a atividade, estão sendo realizados cursos de Apicultura na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Soledade. A atividade é coordenada pelo assistente técnico regional de Produção Vegetal, Vivairo Zago, com o apoio dos extensionistas dos escritórios municipais. Na terça-feira (30/10), na sede da Associação dos Funcionários Públicos Municipais, agricultores de Barros Cassal participaram do curso, que contou com atividades teóricas e práticas.

No período da manhã, o grupo de 17 produtores receberam orientações sobre o cenário e importância da apicultura, biologia e organização da “vida social” das abelhas e manejo das colmeias. Zago explicou que o recomendável é possuir no máximo 20 colmeias por apiário. “O ideal é até menos, para manter o equilíbrio na distribuição e melhor explorar o potencial apícola de cada região. Também é importante cuidar a localização do apiário, nem no topo do morro, que a abelha precisa voar longe, nem na encosta dos rios, onde é frio”, orientou.

A técnica em Agropecuária da Emater/RS-Ascar, Carina Sthal, explica que a capacitação em apicultura foi uma solicitação dos agricultores e do Conselho Municipal Agropecuário e é uma área estratégica para a Instituição no município. “Observamos o aumento da demanda por capacitação na área e o interesse dos agricultores na atividade. Formamos esse primeiro grupo, mas há outros produtores interessados. Possivelmente faremos novos cursos em 2019”, relatou. Em Barros Cassal, 40 famílias investem atualmente na atividade, segundo levantamento da equipe local.

No período da tarde, o grupo participou de uma oficina sobre colocação de lâminas alveoladas de cera nos caixilhos. O agricultor Pedro Alexandre da Luz Tessari participou da atividade e relatou que possuí 15 caixas de abelhas na propriedade da família, na localidade de Coxilha Grande. “Gosto da apicultura e quero investir na atividade, aumentar o número de colmeias. Gostei muito do curso e aprendi bastante. Investir na apicultura é um sonho e quero aprender sempre mais”, avaliou.

Segundo Zago, na região administrativa de Soledade mais de 1.600 famílias estão envolvidas na apicultura, tanto para subsistência quanto para geração de renda por meio da comercialização da produção excedente. “A atividade está inserida na prática das famílias, mas não é uma atividade prioritária. Em muitos municípios falta infraestrutura. Por outro lado, há um potencial muito grande na região devido ao número de agricultores familiares com áreas propícias com mata nativa e produção de eucalipto”, avalia o assistente técnico.

O curso de apicultura é realizado também nos municípios de Soledade e Sinimbu, sendo desenvolvido em dois módulos, cada um com duração de oito horas, em grupos de até 20 pessoas. Na próxima quinta-feira (01/11) será realizado o módulo dois da capacitação para o grupo do município de Sinimbu e na quinta-feira (08/11), em Barros Cassal.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade