Convênio entre governo do Estado e funerárias gera economia aos cofres públicos

Acordo estabelece a prestação do serviço gratuito de remoção e traslado de corpos nos casos de morte violenta

Por Redação em 18/01/2019

   

(Foto: Divulgação / Sesf-RS)
Convênio entre governo do Estado e funerárias gera economia aos cofres públicos

Um convênio entre o governo do Estado e o Sindicato dos Estabelecimentos Funerários do Rio Grande do Sul (Sesf-RS), que completa 18 anos, gera economia média anual de R$ 3 milhões para os cofres públicos. O acordo estabelece a prestação do serviço gratuito de remoção e traslado de corpos nos casos de morte violenta, em que há necessidade de necropsia.

“A funerária, que deve ser credenciada pelo Sesf-RS, remove o corpo do local do óbito e o traslada ao Departamento Médico-Legal (DML) ou a um de seus 36 postos no interior do Rio Grande do Sul”, explica o presidente do Sindicato, Valdir Gomes Machado. Assim, segundo o dirigente, o governo gaúcho não precisa utilizar sua infraestrutura para remoção e traslado de corpos.

Operação
O serviço funciona da seguinte forma: a Polícia Civil atende a ocorrência. Logo depois, contata a Central de Remoções, que fica em Porto Alegre, opera 24 horas por dia e é administrada pelo Sesf-RS. A central aciona a funerária credenciada, que vai até o local, remove o corpo e o traslada ao DML ou a um de seus postos no interior do Estado.

O acionamento da funerária obedece a dois critérios: proximidade e alternância. Ou seja, se o óbito ocorre em Venâncio Aires, por exemplo, uma funerária credenciada do município é acionada. Se no dia seguinte ocorre mais um óbito, outra funerária credenciada da cidade é acionada.

Livre escolha
Após a necropsia e liberação do corpo pelo DML, fica a critério da família enlutada autorizar a prestação do serviço funerário à empresa que fez a remoção e traslado ou escolher outra de sua preferência. Não há vinculação entre a prestação do serviço gratuito de remoção e traslado e a contratação do serviço funerário.

Abrangência
O serviço tem abrangência em todo o Estado, com exceção de Porto Alegre e Região Metropolitana, e Caxias do Sul e cidades do entorno.

Números
- 343 é o número de funerárias credenciadas pelo Sindicato em todo o Estado;
- 168 é a média de quilômetros percorridos em cada atendimento;
- R$ 692,00 é o custo médio de um atendimento;
- Em 2018 foram realizados 4.272 atendimentos;
- R$ 2,9 milhões foi o valor economizado pelo Estado no período;
- 4 mil é a média anual de atendimentos;
- De 2000 a 2018 foram mais de 70 mil atendimentos. A economia para o Estado já supera R$ 48 milhões.

Sobre o Sindicato
O Sesf-RS é a entidade que representa as funerárias do Estado. Sua trajetória, iniciada em 26 de maio de 1983, é marcada por conquistas e pela garantia dos direitos da categoria, sendo decisiva para a evolução do setor funerário gaúcho.

Com sede em Porto Alegre, o Sindicato tem mais de 400 empresas associadas e reúne 12 delegacias regionais. É filiado, desde 2007, à Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do RS (Fecomércio-RS), entidade sindical de grau superior que integra o Sistema Confederativo de Representação Sindical do Comércio (Sicomércio).

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade