Secretário Berfran palestra na reunião do Coaju

Secretário do Meio Ambiente do Estado

Por Redação em 09/12/2009

   

nao. (Foto: Divulgação)
Secretário Berfran palestra na reunião do Coaju

O secretário de Meio Ambiente do Estado, Berfran Rosado, participou nesta segunda-feira (07) da reunião de encerramento do ano do Coaju (Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Alto Jacuí). No encontro, promovido na Universidade de Passo Fundo (UPF), com a presença de acadêmicos dos cursos de Engenharia Ambiental e Agronomia, Berfran anunciou que já estão liberados os recursos para a primeira etapa do Plano de Bacia do Alto Jacuí, estudo que irá apontar o inventário e o diagnóstico dos recursos hídricos na Bacia. O edital de licitação para definir a empresa que fará o estudo será publicado no Diário Oficial do Estado nos próximos dias.

Segundo o secretário Berfran, no momento há no Estado seis bacias hidrográficas com editais para constituição do Plano de Bacia. O Coaju deve ser o próximo contemplado. Ele explica que a meta é para que, nos próximos anos, todas as 25 bacias do Rio Grande tenham esse estudo implantado.

De acordo com o presidente do Coaju, professor Claud Goellner, o Plano de Bacia representa um grande avanço nas ações do Comitê na medida em que vai apontar a quantidade de água superficial e subterrânea na Bacia, assim como a qualidade desses recursos e quem são os principais usuários. “Como instrumento de planejamento, o estudo vai nortear todas as ações e decisões do Comitê, já que teremos o conhecimento da situação real dos recursos hídricos disponíveis”, explica.

Segundo Goellner, depois de finalizada a primeira etapa, o estudo será amplamente discutido em audiências públicas que serão realizadas nos principais municípios que compreendem a Bacia do Alto Jacuí. “Uma vez aprovado, o plano vai para o Conselho de Recursos Hídricos, e, depois de homologado, vira lei e como tal precisa ser respeitada”, revela.





Incentivo a gestão ambiental

Durante a palestra, o secretário Berfran também apontou que, com o desenvolvimento acelerado das cidades, a área ambiental ficou em segundo plano, e hoje apresenta grande atraso. Por isso, anunciou que o Estado incentivará, com repasse financeiro, todos os municípios que ainda não têm, mas pretendem criar, os seus planos ambientais, a exemplo do que já existe em Passo Fundo. Hoje, o número de cidades que fazem gestão local e que estão habilitadas ao Sistema Integrado de Gestão Ambiental (Siga-RS) chega a 241.

“É importante essa mobilização para que cada município constitua sua legislação ambiental e implante o Conselho Municipal de Meio Ambiente, para que possamos juntos, Estado e Município, atuar na geração de emprego e renda, e ao mesmo tempo sermos efetivos na conservação dos recursos naturais”, declarou o secretário.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade