Hospital Frei Clemente deve realizar financiamento para pagar funcionários

Governo liberou linha de crédito especial para 116 hospitais filantrópicos e santas casas em todo o Estado

Por Lucas Oliveira Bicudo em 21/02/2019

   

(Foto: Arquivo / ClicSoledade)
Hospital Frei Clemente deve realizar financiamento para pagar funcionários

Com atrasos nos repasses de recursos aos hospitais filantrópicos e santas casas do Estado, as instituições enfrentam dificuldades para cumprir com os pagamentos, especialmente do salário dos funcionários. Com o Hospital de Caridade Frei Clemente (HCFC), de Soledade, a dívida já ultrapassa R$ 1 milhão, se somado o valor devido pelo Ipê, conforme informações da direção.

Na terça-feira, 19/2, foi publicado no Diário Oficial do Estado a Resolução 001/2019, que autoriza as casas de saúde aderirem a uma linha de crédito. O recursos, que totalizam R$ 100 milhões, é via Fundo de Apoio Financeiro e de Recuperação dos Hospitais Privados, Sem Fins Lucrativos e Hospitais Públicos (Funafir), e está disponível para 116 hospitais filantrópicos e santas casas.

Na região, estão aptos a realizarem o financiamento os hospitais Frei Clemente, de Soledade, São Sebastião, de Espumoso, e São João, de Arvorezinha. De acordo com Adairto Forti, administrador do HCFC, ainda não se tem certo o valor que será financiado. Este dinheiro será utilizado para pagar os salários dos funcionários, onde estão em atraso o mês de janeiro e férias.

Conforme está estabelecido na Resolução, o uso do recurso se restringe, em ordem de prioridade, para pagamento de salários, dívidas bancárias (com prioridade para o Banrisul) e, por fim, com fornecedores de produtos e/ou serviços. Ao aderir, os hospitais se comprometem a manter, no mínimo, os serviços prestados ao SUS existentes na data da concessão do financiamento.

A linha de crédito oferece um prazo de carência de 12 meses e tem juros subsidiados pelo Estado. Após liberação dos recursos, as instituições terão até 180 dias para prestar contas aos respectivos conselhos municipais de saúde, assim como o Conselho Diretor do Funafir. O programa está em fase de implantação no Banrisul.

Segundo a secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann, o governo do Estado se compromete a pagar em dia a partir da competência de março, que é quitada em abril. Em relação a 2018, o governo tem em aberto as parcelas de setembro, outubro, novembro e dezembro, cada uma na ordem dos R$ 60 milhões. Em 2019, está em atraso a competência de janeiro e não há previsão para o pagamento da parcela de fevereiro, que juntas somam R$ 245 milhões.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade