Representantes dos funcionários do Hospital Frei Clemente são recebidos pelo Legislativo

Diretora de Finanças do SindiSaúde de Passo Fundo, Terezinha Perissinotto, expôs a situação enfrentada pelos funcionários devido ao atraso nos salários.

Por Redação em 11/03/2019

   

(Foto: Mauricio Orsolin / ClicSoledade)
Representantes dos funcionários do Hospital Frei Clemente são recebidos pelo Legislativo

Representantes do SindiSaúde de Passo Fundo e funcionários do Hospital Frei Clemente que estão em greve desde a última semana, devido a falta do pagamento dos salários, foram recebidos na manhã desta segunda-feira, 11/03, pelos vereadores do Legislativo Soledadense.

O encontro aconteceu antes da sessão ordinária, durante a reunião das comissões. Na oportunidade a Diretora de Finanças do SindiSaúde de Passo Fundo, Terezinha Perissinotto, expôs a situação enfrentada pelos funcionários do Hospital e pediu auxílio dos vereadores para buscar uma solução junto ao Governo do Estado, que não está efetuando os repasses em dia para a Casa de Saúde.

Segundo a presidente, em momento algum o Sindicato está contra a direção do Hospital, porém precisa ficar a favor dos associados, pois estes não estão com o salário em dia. “Tem funcionários que estão com aluguel atrasado e já estão recebendo notificação de despejo. Outros não conseguem pagar as parcelas de compras no comércio. Por isso estamos aqui pedindo esta ajuda para buscarmos uma solução para esta situação”, pontuou.

Os vereadores presentes se solidarizaram com os funcionários presentes e se colocaram a disposição para buscar uma saída para esta situação, tendo em vista que o financiamento via Banrisul, autorizado pela Secretaria de Saúde, ainda não foi liberado. Os edis deverão entrar em contato com a direção do Hospital Frei Clemente para marcar uma reunião nos próximos dias, com a participação do SindiSaúde.

A GREVE

A greve dos funcionários do HCFC iniciou às 13h do dia 07/03. O movimento se deve à falta de pagamento dos salários dos meses de janeiro e de fevereiro. De acordo com o SINDISAÚDE, os serviços essenciais serão realizados e os casos de emergência terão atendimento. Como de praxe, o Sindicato informa que está sendo mantido o atendimento mínimo de 30% dos trabalhadores no exercício das atividades, mediante sistema de rodízio entre os grevistas.

Segundo informações do Hospital Frei Clemente, um empréstimo autorizado pela Secretaria Estadual de Saúde através do Fundo de Apoio Financeiro e de Recuperação dos Hospitais Privados, Sem Fins Lucrativos e Hospitais Públicos (Funafir), já foi solicitado, no entanto ainda não foi liberado junto ao Banrisul. De acordo com a direção da Casa de Saúde, a dívida do Estado já ultrapassa R$ 1 milhão, se somado o valor devido pelo Ipê, o que tem comprometido o pagamento dos salários em dia.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade