Apresentados os impactos ambientais das obras de duplicação da BR-386

Informações foram expostas durante audiência pública promovida pelo IBAMA na noite desta terça-feira, 9/10, em Soledade

Por Redação em 09/10/2019

   

(Foto: ClicSoledade)
Apresentados os impactos ambientais das obras de duplicação da BR-386

A comunidade regional foi convidada a participar de audiência pública que apresentou o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) do projeto de duplicação e ampliação da capacidade da BR-386, no trecho entre Carazinho e Canoas. O evento aconteceu na noite desta terça-feira, 9/10, no auditório do Centro Cultural de Soledade e foi promovido pelo IBAMA.

Na oportunidade, os presentes puderam ter informações sobre o conteúdo do Estudo de Impacto Ambiental (EIA), bem como tirar dúvidas, fazer apontamentos e dar sugestões. Serão realizados mais dois encontros iguais a estes, nos municípios de Carazinho e Lajeado, nos dias 9 e 10 de outubro, respectivamente.

Os estudos ambientais foram contratados pela EPL e realizados pela empresa MRS Ambiental. Alexandre Nunes da Rosa é quem coordenou o processo e explicou que especialistas vieram até a região para conhecer as particularidades dos meios físicos (solo, água, relevo), biótico (flora e fauna) e socioeconômicos (comunidades).

Com base nestes levantamentos, foram identificados eventuais consequências que podem ocorrer com a duplicação da rodovia e propostas medidas para prevenir, minimizar ou compensar os impactos negativos e potencializar os positivos. A obra vai melhorar a qualidade da acessibilidade e segurança da via e terá um efeito difuso sobre o restante da área dos municípios.

Simone Suzzin, gestora de Relações Institucionais da CCR Via Sul, falou dos investimentos a serem realizados. Na região, a duplicação vai iniciar em 2023 e 2024, no trecho entre Soledade e Fontoura Xavier, em um total de 25,6Km. Já para 2024 e 2025, as obras acontecem de Soledade a Tio Hugo, totalizando 30,5Km.

Também estão previstas construções de vias marginais, melhorias de acessos, interconexões, assim como obras de retorno nos Km 223, 228, 233, 235 e 238. Serão construídas duas passarelas (Km 246 e 246), obras de passagem inferior (Km 245) e implantação de iluminação em travessias urbanas (via principal e marginal).

A audiência foi presidida por Julevânia Alves Olegário, analista ambiental do IBAMA. O público presente pode participar fazendo questionamentos a mesa, dando sugestões, assim como foram recebidos três documentos que serão anexados ao processo. Se dá o prazo de 15 dias para recebimento de contribuições, que devem ser enviadas para e-mail cotra.sede@ibama.gov.br.

Após este período é feita a emissão do parecer conclusivo de viabilidade do empreendimento. As etapas a serem cumpridas são Licença Prévia, Plano Básico Ambiental, Licença de Instalação (quando iniciam as obras) e, por fim, a Licença de Operação (quando é liberada para uso).

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade