Livro disseca vida de Pitt e Jolie e prevê separação iminente

Fim da relação do casal mais famoso de Hollywood.

Por Redação em 28/01/2010

   

nao. (Foto: Reprodução)
Livro disseca vida de Pitt e Jolie e prevê separação iminente

Era uma vez um casal lindo, famoso, bem-sucedido e idolatrado. Eles viviam em um casamento tido como modelo de perfeição -só faltava um bebê para a felicidade completa. Até que uma morena sexy e mais famosa ainda surgiu para atrapalhar tudo. O conto de fadas degringolou, o lindo príncipe virou sapo e a princesa loura -supostamente traída- foi às lágrimas em público. O enredo que cairia como uma luva para um filme de Hollywood parece familiar? Pois é. Trata-se da manjada história do triângulo formado por Brad Pitt, Angelina Jolie e Jennifer Aniston, que ainda rende histórias -e quantas. Vai ver que foi por isso que o jornalista investigativo americano Ian Halperin, autor de uma das biografias mais vendidas de Michael Jackson, resolveu explorar a trama de amor, ódio, traição e intrigas e lançou o livro Brangelina -The Untold Story of Brad Pitt and Angelina Jolie (em livre tradução, Brangelina -a História Não Contada de Brad Pitt e Angelina Jolie), ainda sem versão brasileira.

Bem-assessorados
Na obra, Halperin disseca a história dos três astros, desde a infância até os dias de hoje, época na qual Pitt e Jolie são tratados como o casal de ouro de Hollywood, envoltos por toda uma aura de benevolência. Mas para o autor do livro, vale a máxima, "nada na verdade é o que parece ser". Segundo ele, Pitt e Jolie vivem uma espécie de farsa pública. Com imagens milimetricamente construídas, os dois, principalmente Jolie, são extremamente bem-assessorados para que nem um resquício de algo que possa ser comprometedor possa vazar para a imprensa. Para o autor, que se aproximou de pessoas próximas aos atores para escrever o livro, desde jovem, Jolie lapida sua imagem à medida em que seu poder de sedução atrai ou repele o público. Se ela hoje é vista quase como a versão da Mulher-Maravilha moderna, tudo é fruto de um minucioso plano de construção de uma persona pública.

Jolie: um mito construído
Quando a atriz era adolescente e sua carreira ainda deslanchava, sua aura rebelde começou a atrair uma legião de seguidores fiéis -e até mesmo fatos chocantes como se cortar ou transar com mulheres não conseguiam ofuscar o sucesso de La Jolie nas bilheterias. Mas o público também tinha limites morais. É por isso que a coisa foi ficando perigosa à medida em que Angelina levava às últimas consequências um bizarro flerte com seu irmão James Haven. Na cerimônia do Oscar de 2000, quando a atriz ganhou a estatueta de melhor coadjuvante pelo filme Garota, Interrompida, beijou o irmão na boca. Foi demais para a América. A mídia começou a esmiúçar a relação dos "irmãos incestuosos" e o público começou a demonstrar que Jolie tinha ido longe demais. Para Ian, foi aí que mais uma campanha de "limpeza de imagem pessoal" começou. Segundo ele, nessa época Jolie rapidamente e repentinamente, assumiu um romance tórrido com o ator Billy Bob Thornton, então casado com a atriz Laura Dern, prontamente abandonada e trocada por Jolie. Laura seria a primeira vítima da "destruidora de lares" Jolie. A segunda, conhecida, seria Jennifer Aniston. Apesar de Angelina negar ter se relacionado com Brad enquanto ele era casado com a atriz, não é bem essa a história que fontes presentes no set do filme Sr&Sra.Smith, no qual Brad e Angelina se conheceram, garantiram ao autor. Técnicos que trabalharam no longa afirmaram a Halperin que Jolie e Brad se beijaram após uma festa do filme no Hotel Standart, em Los Angeles. E sim, à época Brad ainda era casado com Jennifer.

Aniston, uma injustiçada
Jennifer Aniston é retratada de maneira bem diferente de Jolie no livro de Halperin: como vítima. Testemunhas que trabalharam na reforma da mansão de Brad e Jennifer relataram a Ian que à época em que eles, ainda juntos, decoravam sua recém-adquirida morada em Los Angeles, ela já decorava um cômodo que seria o quarto do bebê. Halperin também conversou com pessoas que garantem que Aniston chegou até a engravidar de Pitt entre 2003 e 2004, mas teria perdido o bebê pouco tempo depois de receber a notícia. É por isso que muita gente estranhou os insistentes boatos de que a prioridade de Aniston era a carreira, não a maternidade -e que esse teria sido o fator decisivo para Brad pedir o divórcio. Ian garante que ninguém menos que a própria Jolie, com a ajuda do irmão, teria plantado essa nota em vários veículos de imprensa, na época da separação. O golpe seria certeiro: quem ia se lembrar da destruidora de lares quando Aniston seria vista como uma ambiciosa atriz que pensava mais em Hollywood do que na felicidade conjugal, se Brad já havia dito que queria ter muitos filhos?

La Jolie, eterna fonte de conflitos
Depois de quase 300 páginas, Ian chega a um veredicto: a fonte dos problemas está em Jolie. Ela, ao contrário do parceiro, tem claros traços de desequilíbrio, temperamento difícil, tido como "errático" e parece se entediar com situações estáveis, como a relação com Brad. Já o galã é praticamente absolvido pelo autor. Descrito como "um bom rapaz", que gosta de beber com os amigos e eventualmente fumar maconha, ele é até perdoado por Ian em seu maior deslize: o notório "chifre" em Aniston. Ian conclui: "talvez se Aniston tivesse conseguido engravidar e não sofresse os abortos, Brad teria ficado e construído uma família com ela".

Separação à vista
No livro, lançado em novembro de 2009, Halperin já previa uma separação. Nos últimos dias, as notícias sobre o fim da união do então casal de ouro de Hollywood pipocam incessantemente nas mídias americana e inglesa. Em seu blog ianundercover.com, o jornalista, que previu a morte de Michael Jackson em dezembro de 2008, garante com todas as letras -e fontes- que Brad e Angelina se separam em poucos meses. Na verdade, crava o autor, eles já estão separados, não se amam mais, mas esperam uma maneira elegante, crível e "limpa" de levar a notícia para a grande imprensa. Para Halperin, o ex-casal irá adotar a mesma farsa usada por Madonna na época de seu divórcio de Guy Ritchie: os dois começarão, alguns meses antes, a negar tudo; sairão em público armados com sorrisos e afagos fáceis para dar a mensagem de que tudo não passa de armação da mídia e depois, finalmente, anunciarão a separação amigável. Halperin ainda vai mais longe: ele crê que Jolie, mestre em plantar notícias nos mais respeitados veículos da imprensa, ligará para algum jornal como o Los Angeles Times dizendo ser uma fonte próxima ao casal, para garantir que Brad era o problema da história, com seu vício em álcool e maconha fora do controle. Agora, é esperar para ver o destino da crônica anunciada do fim da relação do casal mais famoso de Hollywood.

Fonte: terra.com.br

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade