Inter vence Emelec na estreia na Copa Libertadores

Alecsandro marcou no fim do segundo tempo e garantiu o placar de 2 a 1.

Por Bruno Quevedo em 24/02/2010

   

nao. (Foto: Jefferson Botega)
Inter vence Emelec na estreia na Copa Libertadores

por Juliano Schüler

Se era tabu, já era. O Inter terminou com a escrita de jamais ter vencido a partida de estreia em uma Copa Libertadores. O time de Jorge Fossati venceu o Emelec na noite desta terça, de virada, por 2 a 1, no Beira-Rio. Os gols saíram no segundo tempo. Quiroz calou momentaneamente o estádio ao abrir o placar.

Mas em seguida Nei deixou tudo igual. Alecsandro garantiu a vitória aos 41 do etapa final e três pontos na tabela do Grupo 5 da competição. Agora o Inter terá dois compromissos fora de casa, diante do Deportivo Quito e do Cerro-URU.

O adversário veio fechadinhoO

Inter teve um primeiro tempo bem complicado. O técnico Jorge Sampaoli armou o Emelec bem fechado – para não dizer retrancado – e criou dificuldades para a armação colorada. As tentativas de subida ao ataque mais efetivas aconteceram pelo lado direito, com Nei, muito disposto. Edu também apareceu por ali recebendo lançamentos e tentando cruzamentos. Pela esquerda, Kléber foi neutralizado. A bola não chegava "redonda" para Alecsandro.

O resultado disso foram os poucos arremates a gol por parte do Inter. O primeiro foi aos 21 minutos. Nei ajeitou uma bola para Sandro, que chegava de trás. O volante bateu desequilibrado, pela linha de fundo. O outro foi depois de uma bela ajeitada no peito de Alecsandro, também para o chute de Giuliano, que passou sobre a meta de Elizaga. O meia, por sinal, não teve muito espaço da marcação equatoriana.
Já o Emelec apenas deu um susto na área do goleiro estreante Pato Abbondanzieri, logo no início. Ayovi investiu pela esquerda, em cima de Bolívar, e mandou rasteira para a área. Quiroz pegou sem jeito e mandou sobre a meta do argentino.

Enfim, os gols

Para a segunda etapa, Fossati não promoveu alteração, como de costume. Mas não demorou muito para o placar ser alterado. E foi o Emelec que surpreendeu. Aos 3 minutos, Joao Rojas abriu na esquerda para Quiroz, que invadiu livre a área e bateu rasteiro na saída de Abbondanzieri. O Beira-Rio silenciou por poucos segundos para explodir em incentivos das arquibancadas.

Com o torcedor jogando junto, o
Inter foi para cima. Apostando ainda nas jogadas pelas alas, Nei subiu para o apoio aos 7 minutos e percebeu que tinha espaço para o chute. O lateral bateu de longe, do meio da rua. Acertou na gaveta do goleiro Elizaga. Estava empatada a partida. Delírio no Beira-Rio.

Fossati, então, resolveu promover mudanças que realmente mudaram a cara do Inter. Taison entrou no lugar do autor do gol, que saiu sentindo dores de uma pancada no tornozelo. Mas o atacante apareceu pela esquerda, deixando o setor direito sob responsabilidade de Danilo Silva. Taison mexeu no panorama do jogo com cruzamentos e jogadas combinadas pelo meio.

Porém, o Inter levou um belo susto aos 24 minutos. Ayovi foi lançado pela esquerda. Pato Abbondanzieri estava fora da meta. A bola passar por ele e o equatoriano só precisava chutar com o gol escancarado. Mas veio a intervenção do anjo da guarda colorado, Danilo Silva. O zagueiro chegou a tempo e prensou o chute do adversário.

Alecsandro servido pelos reservas

Na pressão, mas sem resultado e definição de um placar positivo, o treinador viu no banco as soluções. Primeiro Walter e depois Andrezinho, nas vagas de Edu e Giuliano, respectivamente. Faltaram apenas quatro minutos para o o tempo regulamentar se esgotar quando os dois reservas fizeram a jogada do gol.

Andrezinho rolou para o ingresso de Walter dentro da área. Elizaga saiu nos pés do atacante, que teve frieza para encostar a bola para Alecsandro, ao seu lado. Mais um vez o centroavante contestado por parte da torcida resolveu a parada para o Inter, garantindo três pontos dentro de casa.

Fonte: zerohora.com

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade