Programas gratuitos ajudam portadores de deficiência a usar computador

Em vez das mãos, movimentos de olhos e boca acionam a máquina. Headmouse e Teclado Virtual estão disponíveis gratuitamente na web.

Por Bruno Quevedo em 11/03/2010

   

nao. (Foto: Reprodução)
Programas gratuitos ajudam portadores de deficiência a usar computador

Os brasileiros portadores de deficiência motora poderão usar o computador sem as mãos, apenas com movimentos do rosto, como piscar de olhos e abrir e fechar de boca, graças ao acesso a dois softwares que dispensam o uso manual do teclado e do mouse. A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e a empresa espanhola Indra fizeram um acordo para distribuir gratuitamente os programas Headmouse e Teclado Virtual, que podem ser baixados nos sites dos Correios e do Ministério das Comunicações.

O estudante de jornalismo Eduardo Sousa dos Santos George, de 22 anos, que possui uma má formação congênita e mobilidade reduzida, participou nesta quarta-feira (10) de uma demonstração do software, durante a cerimônia de lançamento da parceria entre Correios e a empresa espanhola que desenvolveu o programa. Eduardo, que antes usava uma vareta presa à boca para acionar o teclado, navegou sozinho, com movimentos faciais, pelo site dos Correios e consultou o número do CEP da casa dele, em Interlagos, São Paulo.

Para a utilização do software, é preciso ter uma webcam instalada no computador para captar os movimentos faciais. O cursor do mouse e a função “arrastar” são acionados pelo movimento da cabeça e a função “click” é ativada por gestos, como piscar de olhos.

Durante a cerimônia, o estudante recebeu um convite para trabalhar como monitor dos Correios na divulgação dos softwares. De acordo com os Correios, será colocada à disposição dos interessados uma equipe de suporte para esclarecer dúvidas sobre a instalação e o funcionamento das ferramentas.

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, lembrou, na cerimônia, que 24,5 milhões de pessoas no Brasil têm algum tipo de deficiência. Ele ressaltou que o Ministério tem no seu quadro de funcionários 80 pessoas com necessidades especiais. Costa citou ainda o projeto que permitiu a instalação de 1.800 telefones desenvolvidos para deficientes auditivos em escolas frequentadas por alunos com necessidades especiais.

Fonte: G1

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade