A leitura próxima de você: Biblioteca Pública

A Biblioteca Pública Municipal Alcides Maia possui cerca de 28 mil exemplares dentre livros infantis, literários, romances, lançamentos e acervo de jornais, que estão disponíveis ao valor de R$ 5,00 por ano.

Por Bruno Quevedo em 12/03/2010

   

nao. (Foto: Bruno Quevedo)
A leitura próxima de você: Biblioteca Pública

Como disse o filósofo francês Voltaire:

“A leitura engrandece a alma”. Não só a alma, mas todo o corpo, principalmente a mente. Não é de agora que se ouve que a leitura faz bem e é através dela, que se adquire a maior parte dos conhecimentos humanos.

Dentre todos os benefícios da leitura, talvez o mais importante seja aprender a se comunicar com mais eficiência. Quem lê bastante tem mais cultura e, consequentemente, mais poder de comunicação. Cultura no sentido do conjunto de características humanas que não são inatas, mas que se criam e se aprimoram por meio da comunicação e da cooperação entre os indivíduos.

A leitura de uma obra literária deve ocorrer de acordo com esse ponto de vista: aquisição de conhecimento e/ou cultura. Deve-se ler um livro buscando a comunicação com o seu autor.

Este — o autor — é o emissor do contexto; o leitor é o receptor. Não se pode ser, porém, um receptor passivo, mas, sim, indagativo, inquiridor, sempre buscando informações instrutivas em cada linha da obra. Há filosofia onde nem se imagina encontrá-la. Basta ler as frases com a alma, com o espírito, para examinar o conteúdo de cada parágrafo por meio do entendimento e da razão.

Análise psicológica

O leitor é elemento agente: é ele quem dá vida às personagens, participando com elas da história e realizando a análise psicológica de cada uma delas. Se tal ação não for efetivada, a leitura será inútil, ou um mero passatempo. Deve-se ler com a intenção de se tirarem ensinamentos para a própria vida.

Os livros são verdadeiros consultórios de psicanálise. Por meio da análise do comportamento de cada personagem, pode-se aprender a viver relacionamentos mais harmoniosos consigo mesmo e com os demais.

Seria como se as personagens fizessem parte do mundo real e com elas aprendêssemos a viver e a conviver, como ocorre na vida, mas com a vantagem de se poder analisar friamente as ocorrências, sem a paixão que caracteriza os relacionamentos humanos.

Aristóteles, um dos mais importantes filósofos de todos os tempos, dizia que a diferença entre o filósofo e o cidadão comum é que o filósofo pensa, e o cidadão comum deixa que os pensamentos passem por sua mente aleatoriamente.

É preciso, pois, aprender a pensar sistematicamente. E isso só se consegue com muito treinamento. Uma das maiores oportunidades que há para esse treino está no jornal, que, diariamente, nos apresenta textos de diversos gêneros textuais. A partir da leitura desses textos, além de ocorrer o aumento do conhecimento de mundo, há também a oportunidade de o cidadão incrementar seu conjunto de bens intelectuais.

Boa leitura é leitura edificante. Edificar é induzir à virtude. Essa deve ser a missão de todo cidadão educador – professores, jornalistas, pais e mães, dentre outros. Todos os adultos interessados em construir uma sociedade de fato devem preocupar-se com o "ensinar virtudes" às demais pessoas. Só ensina algo quem consegue se comunicar adequadamente; só aprende algo quem está preparado para interagir com os demais. Essa é a chave do sucesso: a comunicação.

Dados

A pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, divulgada pelo Instituto Pró-Livro, em 2008, mostra que o índice de leitura entre crianças acima de 5 anos cresceu. Segundo o levantamento, a taxa de leitura por pessoa foi de 4,7 livros lidos por ano. Em 2000, foi apenas de 1,8 livro.
O estudo também aponta que a maioria das obras lidas foi indicada pela escola (incluindo os didáticos). Entre os gêneros preferidos pela garotada estão a literatura infantil e a história em quadrinhos.

Outro dado interessante: crianças e jovens leem mais que adultos. Leitores entre 11 e 13 anos leem, em média, 8,5 livros por ano. Já entre as pessoas na faixa etária dos 30 anos, a taxa cai para 4,2 livros.

A leitura de livros na infância é muito importante porque é a porta de entrada para mundo da escrita. Regina Scarpa, coordenadora pedagógica de NOVA ESCOLA explica: “Para as crianças pequenas, a escrita é apenas um conjunto de marcas em folhas de papel. Um adulto, ao ler uma história para crianças, faz com que essas marcas ganhem vida e os pequenos tenham acesso a tudo que mora dentro dos livros, como os contos de fadas e as lendas”.

Leitor e não-leitor

O estudo foi aplicado em 5.012 pessoas em 311 municípios de todo o país, o que representou mais de 172 milhões de pessoas, ou seja, 92% da população. O método adotado para definir o leitor ou não-leitor foi a declaração do entrevistado de ter lido ao menos um livro nos últimos três meses.

A pesquisa constatou que, 95 milhões de pessoas, ou seja, 55% da população são leitores, enquanto 77 milhões, 45% dos entrevistados, foram classificados como não-leitores.

A pesquisa apontou também que o
brasileiro lê, em média, 4,7 livros por ano. Em algumas regiões o número é ainda maior, como é o caso do Sul, onde foi apurado que são lidos 5,5 livros por habitante ao ano. No Sudeste o número foi de 4,9, no Centro-Oeste 4,5, no Nordeste 4,2 e no Norte 3,9. A pesquisa confirmou também que as mulheres leem mais que os homens, 5,3 contra 4,1 livros por ano.

A primeira edição da pesquisa foi realizada em 2000 e 2001 em 44 municípios brasileiros. Na época o estudo constatou que 49% da população eram consideradas leitores.

O estudo também mostrou que muitos têm dificuldades para ler, possivelmente devido a falhas no processo de formação das habilidades de leitura. Sobre suas limitações para a leitura os entrevistados responderam que lêem muito devagar (16%), não têm paciência (11%), não compreendem a maior parte do que lêem (7%), não têm concentração (7%).

Influência

O estudo também mostra que, ao lado da escola, a família forma um dos pilares para a formação dos leitores. A mãe é citada como a pessoa que mais influenciou os leitores a ler (49%), número que sobe ainda mais quando a pergunta é feita apenas às crianças (73%). Em seguida vem a professora com 33%.

A pesquisa também aponta como um ambiente familiar que não incentiva os filhos a ler pode influenciar no hábito de leitura das crianças. De acordo com o estudo, 85% dos não-leitores nunca foram presenteados com livros na infância. Além disso, 63% deles nunca ou quase nunca viam seus pais lendo em casa.

No que diz respeito ao acesso aos livros, embora 90% dos municípios brasileiros tenham pelo menos uma biblioteca, 20% dos entrevistados afirmaram não existir uma biblioteca por perto e outros 13% disseram não saber. E, apesar de 67% da população conhecer alguma biblioteca por perto, apenas 27% fazem uso dela. Ou seja, três em cada quatro brasileiros não freqüentam esses espaços.

Uma outra forma de ter acesso aos livros seria por meio da compra. Nesse quesito, o brasileiro também continua adquirindo muito pouco: 1,2 livro por ano, sendo que somente 21% da população comprou pelo menos um livro no período de um ano.

A margem de erro da pesquisa é de 1,4 para mais ou para menos.

Opção: Biblioteca Pública Municipal Alcides Maia

A leitura pode estar a alguns passos da sua casa. A Biblioteca Pública Municipal Alcides Maia, que nesse ano completa 65 anos de existência, iniciou as suas atividades em 1º de junho de 1945, na Prefeitura Municipal. Atualmente funciona junto ao Centro Cultural, no segundo piso.

O espaço de leitura está disponível para a população pelo valor de R$ 5,00 por ano, onde o leitor paga ao associar-se, portando um documento de identificação, assim como comprovante de residência. São cerca de 28 mil exemplares dentre livros infantis, literários, romances, lançamentos, assim como o acervo dos jornais Zero Hora, Folha de Soledade, Informativo Regional, além das revistas Mundo Jovem, Professor, Escola, etc.

São permitidas retiradas de até
dois livros por vez, sendo que os mesmos podem ser renovados até três vezes. Em casos em que há atraso na renovação, é cobrada uma taxa, assim como a reposição de edições que sejam extraviadas ou danificadas.

A aquisição de novos lançamentos acontece durante todo o ano, sendo que pelo menos um novo livro está disponível por mês. As pessoas que desejarem, podem fazer uma doação de livros para a Biblioteca.

Um local especial para as crianças

A Biblioteca disponibiliza acesso à internet para os sócios, assim como conta com o Cantinho da Leitura, onde ficam boa parte dos exemplares voltados ao público infantil, com imagens, puffs, desenhos e ursos de pelúcia, para que haja uma maior interação entre o mundo imaginário dos livros, com a realidade. Há também a área pedagógica, para professores, com inúmeros livros didáticos.

Segundo uma das Bibliotecárias e professora de Língua Portuguesa, Andréia, sobre a importância de um local especial para as crianças, cita que “o espaço para as crianças está ali, é o Cantinho da Leitura, os pais devem trazer os seus filhos para conhecer, devem incentivar a criança para que ela cresça no meio da leitura. O espaço está disponível, basta o pontapé inicial dos pais”, mostrando que não basta apenas existir um local de leitura apropriado, mas sim, a vontade do indivíduo de explorar e se beneficiar com o mesmo. As escolas podem agendar visitas à Biblioteca, para que os alunos possam visitar e conhecer o espaço que muitos, ainda, desconhecem na cidade.

Curiosidade

Por cerca de 62 anos, a Biblioteca funcionou sem ter uma logo oficial.

No ano de 2007, a logo foi escolhida através de um Concurso para a criação da logo da Biblioteca, no qual os sócios faziam a logo, que foi votada e que hoje ilustra as carteiras de empréstimo dos livros.

O vencedor foi um jovem sócio, que na época tinha 17 anos, leitor amante dos livros, que preferiu não se identificar.

Sobre a ideia da criação, cita que a ideia veio da imagem das letras A e M sobrepostas uma sobre a outra, na imagem da Medalha Milagrosa e que a frase ilustraria o poder que a leitura tem de transformar a realidade e a mente dos leitores, já que o saber e o conhecimento ninguém pode retirar de ninguém.

Para quem desejar, a Biblioteca possui uma Perfil no site de relacionamentos Orkut:

Orkut

Fonte:http://www.prolivro.org.br/ipl/publier4.0/dados/anexos/48.pdf

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade