Estado deve comercializar 1,9 milhão de quilos de peixe durante a Semana Santa

No Rio Grande do Sul existem 22.807 produtores que desenvolvem a atividade da piscicultura

Por Redação em 30/03/2010

   

nao. (Foto: Divulgação)
Estado deve comercializar 1,9 milhão de quilos de peixe durante a Semana Santa

Segundo levantamento realizado pela Emater/RS-Ascar em todo o Estado, a comercialização de peixes, durante a Semana Santa, terá um volume estimado em 1.927.155 quilos de pescado. Carpas, tilápias, traíras e jundiás são as principais espécies ofertadas em mais de dois mil pontos de venda, em 319 municípios gaúchos. O preço médio varia de R$ 5,00 a R$ 6,00 para o peixe vivo e em R$ 13,00 para os filés de pescado.

O assistente técnico estadual em piscicultura da Emater/RS-Ascar, Henrique Bartels, responsável pelo levantamento, destaca a ampla venda direto na propriedade, que é responsável por aproximadamente 50% da comercialização nessa época. Os outros pontos de venda são as Feiras do Produtor, pesque-pague, mercados e, ainda, a venda a domicílio.

Só na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Erechim, 40 municípios esperam comercializar mais de 100 mil quilos de pescado, em 216 pontos de venda. Na região de Ijuí, 47 municípios ofertam aproximadamente 155 mil quilos de peixes, em 318 pontos de vendas. Já na região de Porto Alegre são 56 os municípios que promovem as Feiras do Peixe, dentre 461 outros pontos de venda que ofertam o volume total de 606 mil quilos de pescado.

Trinta e oito municípios da região administrativa da Emater/RS-Ascar de Caxias do Sul realizam a comercialização de peixes durante a Semana Santa, em 82 pontos de venda, sendo a comercialização estimada em 143 mil quilos de pescado com preços médios entre R$ 3,00 e R$ 15,00. Na região de Passo Fundo, 132 pontos de venda ofertam mais de 140 quilos de peixes em 20 municípios, sendo carpas e tilápias as principais espécies cultivadas. Em 62 municípios da regional de Estrela, é promovida a comercialização de aproximadamente 405 mil quilos de peixe em 284 pontos de venda. Mesmo prejudicados pelas últimas enchentes que atingiram açudes da região, 200 piscicultores ofertam peixes diretamente nas propriedades rurais.

Com preço médio de R$ 3,00 a R$ 7,50, a região de Santa Maria espera comercializar mais de 167 mil quilos de pescado em 139 pontos de venda, com destaque para 110 propriedades rurais com venda direta. Na região de Santa Rosa, 31 municípios promovem 459 pontos de venda para a comercialização de mais de 173 mil quilos de peixes, com preço médio de R$ 6,70. Pelotas e região esperam comercializar aproximadamente 23 mil quilos de peixes em 12 pontos de venda de seis municípios, sendo que o principal destino da pesca na região é a industrialização.

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar em Bagé, dois municípios promovem Feiras do Produtor para a comercialização de peixes durante a Semana Santa, com comercialização total estimada em 10 mil quilos de pescado. Em Quarai, o preço médio do quilo da carpa está em torno de R$ 5,00 e os produtores esperam comercializar 9.000 kg de pescado. Já em Candiota, a Feira do Peixe oferta carpas a R$ 5,00 e traíras a R$ 8,00 o preço médio, e a comercialização esperada é de 1.000 kg de peixe. Ainda em Candiota, a Emater/RS-Ascar realiza oficinas de filetagem e degustação de pratos a base de peixe nos dias 4 e 5 de abril, na Praça Dario Lassance.

A Emater/RS-Ascar atende e orienta 3.633 piscicultores e 2.538 pescadores artesanais do Rio Grande do Sul como forma de promover o desenvolvimento da atividade no Estado. Com isso, em algumas regiões registrou-se o crescimento e a profissionalização do comércio do pescado, através das Feiras do Peixe promovidas pela Instituição em parceria com as administrações municipais, produtores e/ou associações de produtores. Além disso, a Emater/RS-Ascar oferece cursos de criação e de processamento de pescado para técnicos e piscicultores nos Centros de Treinamento, orientando na condução da despesca, promovendo o manejo, a construção e a adequação de açudes e apoiando o desenvolvimento da pesca artesanal.

Segundo dados do IBGE do ano de 2006, no Rio Grande do Sul existem 22.807 produtores que desenvolvem a atividade da piscicultura, entre pescadores e criadores. Destes, 22.734 trabalham com peixes de água doce e 73 com peixes de água salgada ou salobra. Naquele ano, foram produzidos, no Estado, 5.857.822 kg de pescado e comercializados 3.619.666 kg, o que rendeu a soma aproximada de R$ 11,6 mil.

As Feiras do Peixe, promovidas em todo o Estado, compõem a Frente Programática Assistência Técnica e Extensão Rural, que busca diversificar as atividades, agrícolas ou não agrícolas, a fim de aumentar a renda e estimular o assistido a produzir mais e melhor, apoiando-o na comercialização de seus produtos. As Frentes Programáticas desenvolvidas pela Emater/RS-Ascar estão em consonância com os Programas Estruturantes do governo do Estado.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade