Cadeia de citros gaúcha propõe modificações da Normativa que trata sobre o Cancro Cítrico

Por Redação em 30/03/2010
nao. (Foto: )

A Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Agronegócio (Seappa) reuniu a cadeia produtiva de citros gaúcha para debate sobre mudanças na Instrução Normativa nº 20/06, que trata da praga Cancro Cítrico, nesta segunda-feira (29), em Porto Alegre.

A IN nº 20/06, válida para o Mercosul, atualmente prevê o manejo da doença Cancro Cítrico através do Sistema de Manejo de Risco. Tal método se baseia nas medidas fitossanitárias para o manejo de risco nas fases pré e pós-colheita, além de medidas de manejo durante o cultivo - como eleição de variedades e tratamentos químicos preventivos.

No entanto, recentes pesquisas provaram que as frutas assintomáticas, tratadas com produtos adequados, não transmitem a praga. A partir do dado científico, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) decidiu modificar a Normativa com auxílio dos principais estados produtores de citros do país – Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais e Bahia.

O novo Sistema de Manejo foi um dos assuntos mais debatidos, pois exige dos produtores e das unidades de processamento da fruta uma série de cuidados para diminuição da ocorrência e propagação da bactéria. Os membros da Câmara Setorial da Citricultura também salientaram a importância da adaptação às regras do marcado internacional – os maiores compradores das frutas cítricas gaúchas estão em território nacional.

As sugestões captadas nesta segunda-feira, na Seappa, serão levadas ao Ministério da Agricultura, em Brasília, e ponderadas junto à possíveis alterações feitas pelos demais estados, durante a reunião que ocorrerá entre os dias seis e oito de abril.

Presentes e atuantes no encontro estavam os representantes do Mapa, Seappa e das Câmaras Setoriais da Citricultura dos municípios de São Sebastião do Caí, Montenegro, Pareci Novo, São José do Hortêncio e Harmonia. Participou também da reunião o deputado federal Afonso Hamm.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade