Ao comemorar 35 anos, Muzar ganha novas instalações

Visitantes puderam conhecer exposição que conta a história do espaço

Por Redação em 13/04/2010

   

nao. (Foto: Alessandra Pasinato)
Ao comemorar 35 anos, Muzar ganha novas instalações

Um acervo de aproximadamente 25 mil peças, com coleções representativas
de zoologia, botânica, geologia e paleontologia. Um espaço para acolher
a comunidade e oferecer diferentes projetos de educação ambiental. Ao
completar 35 anos de atuação, o Museu Zoobotânico Augusto Ruschi (Muzar)
ganha uma nova estrutura para acomodar seu acervo e realizar as
atividades as quais se destina, além de poder ampliar sua atuação nos
mais de 670 metros quadrados em que está agora instalado. A solenidade
de entrega da nova área física foi realizada na sexta-feira, 9 de abril,
e contou com ampla presença da comunidade acadêmica da UPF.

Na opinião do reitor, Rui Getúlio Soares, a inauguração do Muzar é mais
uma forma de proporcionar aos professores, alunos e funcionários
condições de exercerem seu trabalho com qualidade e atenderem com
eficiência a toda a comunidade que visita o local. “Esta é mais uma obra
que nos liga estreitamente à comunidade, que serve ao ensino, pesquisa e
extensão e é mais um resgate à instituição dos compromissos que fizemos
ainda em nossa primeira gestão”, enfatizou Rui Soares.

O vice-presidente da Fundação UPF Adriano Canabarro Teixeira enfatizou
em seu discurso que o Muzar é um espaço que passa a ser cada vez mais da
comunidade. “Isso é fundamental. Para nós da Fundação UPF, é importante
que a UPF possa prestar um serviço de qualidade e diferenciado para a
comunidade, e este é o grande diferencial deste espaço”, destacou o
professor.

De acordo com a responsável técnica do Muzar Flavia Biondo da Silva, o
novo espaço cria uma identidade exclusiva e própria do Museu e a
ampliação também oferece mais mobilidade e condições de ampliação dos
projetos. “A partir deste momento, o Museu entra em uma nova fase. Num
primeiro momento poderemos oferecer à comunidade acadêmica um espaço
onde ela poderá interagir com a comunidade externa, por meio de oficinas
ou palestras que os acadêmicos possam realizar no Museu”, ressaltou.

Uma história de 35 anos
O museu inaugura apresentando a exposição “Muzar conta sua história”, em
que apresenta seus 35 anos de existência e também faz um resgate do
naturalista Augusto Ruschi, que dá nome ao local. Na exposição é
possível identificar as quatro fases pelas quais o espaço já passou: a
primeira, em que o museu é um laboratório que dá suporte aos cursos de
graduação; a segunda, quando se abre para o atendimento à comunidade; a
terceira, que enfatiza a educação ambiental e a representação da
natureza; e a última, em que a percepção, a interação e a informática
educativa são destaques.

O Muzar é um setor do Instituto de Ciências Biológicas. A exposição que
conta a história do espaço ficará disponível aos interessados por dois
anos. O novo prédio está instalado próximo ao Instituto de Ciências
Biológicas, ao qual o Muzar é vinculado, no Campus I da Universidade de
Passo Fundo (UPF).

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade