Mudanças na poupança são para reduzir os juros

Medidas só afetam quem tem mais de R$ 50 mil aplicados. E a cobrança de imposto vai variar de acordo com a taxa de juros oficiais. Confira uma simulação

Por Jornal Nacional em 15/05/2009

   

nao. (Foto: Reprodução / TV Globo)
Mudanças na poupança são para reduzir os juros

As mudanças anunciadas pelo governo para a poupança mexem apenas com quem tem mais de R$ 50 mil na caderneta e foram tomadas para enfrentar a queda nos juros básicos da economia.

Juros em queda, boa notícia para consumidores, comércio e governo. O crédito está mais barato.
No caso do Brasil, surge um problema: uma herança da época de inflação alta.

A caderneta de poupança é a única aplicação com rendimento fixo. Mesmo com os juros em queda, o rendimento da poupança não muda. Já o rendimento dos outros investimentos cai quando o governo reduz as taxas de juros. Atualmente, a poupança já está rendendo mais que várias aplicações.

Com a poupança rendendo mais, grandes investidores podem transferir dinheiro dos fundos de investimento para as cadernetas. Aí, começa a faltar dinheiro do outro lado, para emprestar para empresas, consumidores e o próprio governo. E sobrar dinheiro para financiar a casa própria. E cada vez que os juros caem, esse movimento tende a aumentar.

As medidas da equipe econômica são para garantir que os juros possam ser reduzidos sem criar uma situação de desequilíbrio entre o dinheiro que vai para a casa própria e para outros tipos de crédito.

“Tenho a impressão que o governo consegue lidar com as reduções de juros que ele precisa fazer com essas medidas. Tenho a impressão que não precisaria talvez mais”, opinou o economista Carlos Eduardo de Freitas.

Para quem tem até R$ 50 mil na poupança, não vai mudar nada. Para quem tem mais que isso, o governo vai cobrar Imposto de Renda sobre o ganho do poupador no que ultrapassar os R$ 50 mil. E a cobrança vai variar de acordo com a taxa de juros oficiais.

Vamos pegar como exemplo uma caderneta de R$ 100 mil. Se a Taxa Selic for de 10% ao ano, tirando os R$ 50 mil isentos e aplicando a tabela do governo, o Imposto de Renda no fim do mês vai ser calculado sobre R$ 50.

Essa mesma poupança, de R$ 100 mil, com a Taxa Selic a 8%, novamente tirando os R$ 50 mil que são isentos e aplicando a tabela do governo, vai pagar imposto de renda sobre R$ 150 por mês.

Todas as mudanças têm de ser aprovadas pelo Congresso e só valem a partir de 2010. Enquanto isso, o governo vai diminuir o Imposto de Renda cobrado sobre as outras aplicações. A alíquota máxima que hoje é de 22,5% cai para 15%.

Para o governo, a caderneta ainda é a melhor opção para o pequeno poupador. “Eu posso garantir que a maioria das pessoas vai chegar à conclusão que o melhor negócio vai ser manter o recurso na poupança”, declarou Bernardo Appy, secretário de Reformas Econômico-Fiscais.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade