Inter vence o Banfield por 2 a 0 e enfrenta o Estudiantes nas quartas da Libertadores

Com gols de Alecsandro e Walter, Inter alcançou o resultado necessário para a classificação

Por Redação em 07/05/2010

   

nao. (Foto: Jefferson Botega)
Inter vence o Banfield por 2 a 0 e enfrenta o Estudiantes nas quartas da Libertadores

A busca pelo bicampeonato da Copa Libertadores 2010 está de pé no Estádio Beira-Rio. Nesta noite de quinta-feira, jogando em casa, o Inter venceu o Banfield por 2 a 0, e conquistou vaga nas quartas de final da competição continental.

Alecsandro e Walter marcaram os gols da vitória. Agora, o Inter encontrará outro argentino pela frente. É o Estudiantes de La Plata, equipe que já foi batida pelos colorados na decisão da Copa Sul-Americana em 2008.

Paredão controla o Inter

Ao contrário do que se previa, o Banfield manteve o sistema 4-4-2, abdicando dos especulados cinco defensores durante a semana.

Mas os argentinos formaram um bloqueio defensivo, verdadeiro paredão, com duas linhas de quatro jogadores à frente da própria área.

Sem espaços, a melhor chance colorada - praticamente a única - aconteceu aos 10min. De longe, D'Alessandro disparou um míssil, com a perna esquerda, e acertou a junção do poste direito com o travessão. Quinze minutos depois, o camisa 10 colorado cruzou, e Walter quase marcou de cabeça. Mas foi só.

A estratégia do Banfield dava certo. A equipe induziu o Inter a buscar chuveirinhos da intermediária. E na bola alta, os zagueirões argentinos foram supremos. Levando o Inter a acreditar que marcaria algum gol destes cruzamentos, o Banfield controlou o primeiro tempo por quarenta minutos.

Centroavante em ação

Desde o início de abril os atacantes do Inter não marcavam gols. O jejum teve fim aos 41min. E na jogada correta. Derrubando o bloqueio adversário com categoria.

Sem recorrer à bola aérea, D'Alessandro fez um passe curto, pelo chão, para Andrezinho. O meia colorado se infiltrou por entre as linhas defensivas do Banfield, e com muita frieza serviu a Alecsandro.

Com a goleira aberta, abandonado pelo goleiro Lucchetti, que saiu desesperado na direção de Andrezinho, Alecsandro tocou para o gol: Inter 1 a 0. Fim da etapa inicial.

Um lá, outro cá

Logo no início do segundo tempo, Alecsandro sofreu pênalti claro. Ele foi puxado pelo zagueiro, que usou a camisa do centroavante colorado para derrubá-lo. Mas o árbitro Wilmar Roldán nada marcou.

O mesmo Alecsandro havia se envolvido em outro lance polêmico, na mesma área, no primeiro tempo. Ele tocou o braço na bola, em lance de ataque dos argentinos, que pediram pênalti. Mas também não levaram.

Walter vence os grandalhões

Apesar do pênalti não marcado, da pressão insuficiente, e da vitória constante dos zagueiros argentinos nas jogadas pelo alto, Walter não se intimidou. E foi o baixinho atacante colorado quem venceu os grandalhões do Banfield.

Aos 12min, D'Alessandro recuperou a bola em rebote de falta lateral. Ele lançou Fabiano Eller, que chegou à linha de fundo, e cruzou.

Eller trocou o chuveirinho por uma bola curta, na entrada da pequena área. Dali, Walter se antecipou e marcou de cabeça: 2 a 0.

Classificação garantida

Com o 2 a 0 que lhe dava a vaga nas quartas de final, o Inter seguiu controlando a partida. O Banfield, mesmo precisando de um gol, pouco arriscou. E com o passar do tempo, os colorados presentes em grande número no Estádio Beira-Rio puderam fazer a festa da classificação sem sobressaltos.

Próximos jogos

O Inter volta a jogar às 16h de domingo, novamente no Estádio Beira-Rio, pela rodada de abertura do Brasileirão 2010. O adversário é o Cruzeiro. Na quinta-feira, o adversário é o Estudiantes de La Plata, pelas quartas de final da Copa Libertadores 2010, também no Beira-Rio. O horário ainda não está definido, mas deve ser 21h ou 21h30min.

CLICESPORTES

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade