Série 'Lost' chega ao fim

Saiba como “Lost” mudou a maneira como o público se relaciona com a TV.

Por Bruno Quevedo em 25/05/2010

   

nao. (Foto: Divulgação)
Série

Em setembro de 2004, uma série de TV estreou envolta em uma grande campanha de marketing e com a promessa de surpreender. Seis anos depois, “Lost” chegou ao fim com o trunfo não só de ter entretido e emocionado telespectadores de todo o mundo, mas também por ter mudado a relação entre o público e a TV.

Até então, acompanhar seu programa preferido era uma experiência semanal e passiva. “Lost” invadiu outras mídias e fez com que o público continuasse conectado ao seriado mesmo após o fim do episódio. Pela primeira vez, para entender de fato a série, não bastava assistir apenas ao que se passou na TV, mas era preciso também ver o que rola na internet, ouvir um programa de rádio e até participar de um game.

O seriado invade o mundo real

Pouco antes do fim da segunda temporada da série, em 2006, o canal ABC anunciou que durante o intervalo entre uma e outra leva de episódios os fãs continuariam em contato com o seriado.

A interação aconteceu através do ARG (alternate reality game) “The Lost Experience”. O jogo misturava a ficção da série com a realidade e dava pistas sobre mistérios que seriam revelados na terceira temporada e também explicações importantíssimas sobre a série.

Fazia parte do game, por exemplo, o site da Hanso Foundation. A organização teria sido fundada por Alvar Hanso e é berço da Dharma. Junto com o game também foram dadas pistas sobre o romance “Bad Twin”, manuscrito encontrado por Hurley e Sawyer entre os escombros do avião e que foi escrito por Gary Troup, que morreu no acidente – mais tarde, o livro chegou às livrarias. Para desvendar as várias pistas que revelavam segredos sobre o romance e também sobre a Hanso Foundation, os fãs deveriam buscar pistas na internet e até ligar para um número de telefone com uma mensagem misteriosa.

Durante o “The Lost Experience” foi revelado um vídeo de orientação da Dharma que teria sido gravado no Sri Lanka. Nele, descobrimos o significado dos misteriosos números 4, 8, 15, 16, 23 e 42. Eles fazem parte da “Equação de Valenzetti”, que tem como função prever quanto tempo falta até que a humanidade chegue à extinção. No vídeo, Alvar Hanso ainda explica que um rádio transmissor que está na ilha iria repetir os tais números, que equivalem aos fatores ambientais e humanos que fazem parte da equação. Essa explicação nunca foi dada na série, apenas no ARG. Ou seja, para entender “Lost”, também é preciso acompanhar o que acontece fora da TV.

Entre a terceira e a quarta temporada da série, foi criado um novo ARG, “Dharma Initiative Recruiting Project”. Desta vez menor, o game foi encerrado por causa da crise financeira.

Episódios na web

Entre a terceira e a quarta temporada, “Lost” ainda ganhou 13 episódios especiais, feitos para a internet e celular.

Diferentemente do que acontece em outros seriados, estes episódios têm os personagens principais e fazem parte da mitologia da série.

O “Lost: Missing Pieces”
adicionou meia hora de conteúdo ao seriado e trouxe várias revelações. No episódio “King of the Castle”, por exemplo, Jack e Ben jogam xadrez, quando o líder dos outros diz que se o médico sair da ilha, vai querer voltar para lá – o que, de fato, aconteceu nas temporadas seguintes.

Em outro episódio, “The Deal”, vemos pela primeira vez Juliet conversando com Michael e dizendo que Walt é especial. E em “Buried Secrets”, ficamos sabendo que Michael e Sun flertaram, mas não chegaram a consumar a traição.

Produtores viram estrelas e conversam com os fãs

Para os fanáticos por “Lost”, ouvir ao podcast de “Lost” fazia parte da experiência semanal do seriado. O “Oficial Lost Podcast” trazia entrevistas com a equipe, bastidores e, mais importante, os produtores executivos Carlton Cuse e Damon Lindelof respondendo a perguntas dos fãs.

Pelos podcasts, o público descobriu, por exemplo, que quando o ultrassom de Claire trouxe uma data diferente para o pouso do voo Oceanic 815, a mudança não foi proposital, mas um erro. Também foi pelos produtores que Annie, a garota por quem Ben era apaixonado na infância, não era importante para a série.

Com os programas, Damon e Carlton viraram estrelas. Nas últimas temporadas da série eram eles e não os atores principais que estampavam capas de revistas e apareciam em entrevistas.

Confira a sinopse das seis temporadas de 'Lost'

1ª temporada (2004/2005)

A primeira temporada começou a ser transmitida nos Estados Unidos em 22 de Setembro de 2004 composta por 25 episódios.

O vôo 815 da companhia aérea Oceanic Airlines, cai na costa do que aparenta ser uma ilha tropical deserta, forçando o grupo de estranhos a trabalhar em conjunto para se manterem vivos.

No entanto, a sua sobrevivência é ameaçada por vários mistérios, incluindo uma escotilha metálica enterrada no solo, uma criatura que vagueia pela selva e os habitantes da ilha conhecidos como "Os Outros".

Os sobreviventes descobrem que um dos seus não é quem parece ser e encontram uma mulher francesa chamada Danielle Rousseau, cuja equipe naufragou há 16 anos.

2ª temporada (2005/2006)

A segunda temporada teve 24 episódios e começou a ser transmitida a 22 de setembro de 2005. Um tema prevalecente em toda temporada é o conflito entre fé e ciência.

A história continua 44 dias depois da queda do avião. É revelada a existência da misteriosa Dharma Initiative e o seu benfeitor, Hanso Foundation.

Vários personagens novos aparecem, incluindo os sobreviventes da cauda do avião Ana-Lucía Cortez, Bernard, Libby e Mr. Eko. São igualmente apresentados Desmond, um homem que tem que apertar um botão na escotilha digitando os números maus — 4, 8, 15, 16, 23, 42 — para salvar o mundo, um homem que diz chamar-se Henry Gale, e ainda outros habitantes da ilha.

A verdade sobre os "Outros" começa a revelar-se e descobre-se um homem chamado ethan é um dos outros.

3ª temporada (2006/2007)

A terceira temporada teve 23 episódios e estreou em 4 de outubro de 2006.
O público conheceu mais sobre a Iniciativa Dharma e sua ligação com os "Outros".

O mundo destas pessoas que viviam na ilha antes da queda do vôo 815 e seus mistérios é explorado. Outros temas recorrentes são o poder de clarividência desenvolvido por Desmond (envolvendo freqüentemente a morte de Charlie) e uma possibilidade real de resgate para os sobreviventes. A temporada incluiu vários novos personagens ao universo da série, como Paulo, interpretado pelo ator brasileiro Rodrigo Santoro; Juliet Burke, a misteriosa integrante do bando Os Outros; Naomi Dorrit, uma paraquedista que veio a ilha procurar Desmond; Greta e Bonnie, que cuidavam de uma estação que todos pensavam estar desativada, entre outros.

Jack faz contato com um navio cargueiro, e todos esperam ser resgatados pelo navio.

4ª Temporada (2008)

A quarta temporada foi planejada (antes da greve dos Roteristas) para ter 16 episódios, iniciando sua transmissão nos Estados Unidos e Canadá no dia 31 de Janeiro de 2008.

Devido à greve dos roteristas, a temporada foi concluída com 14 episódios, constituídos de 8 antes da greve e 6 pós-greve, retomados em 24 de Abril, nos Estados Unidos. Isso inclui um episódio final de 3 horas de duração denominado "There's no Place Like Home".

A primeira parte foi ao ar na quinta-feira do dia 15 de Maio, e as partes 2 e 3, num especial de 2 horas, no dia 29 de Maio.[35] A quarta temporada de Lost difere e muito das outras temporadas, possuindo um "esquema" com mais suspense e mistérios. A narrativa mudou seu foco. Nesta temporada, um navio cargueiro estabelece contato com os sobreviventes com a intenção de resgata-los, porém ao decorrer dos episódios, temos em descoberta de que eles não são quem dizem ser, resultando em novos mistérios e conflitos entre os sobreviventes e os falsos salva-vidas.

No fim, seis pessoas conseguem sair da ilha.

5ª Temporada (2009)

Nesta temporada, os sobreviventes vivem experiências catastróficas com o tempo e os seis da Oceanic que saíram da ilha no final da quarta temporada precisam voltar. Jin está vivo e descobrimos como Rousseau chegou à ilha, Ben divide-se ainda mais mostrando um outro caráter.

Kate está com problemas em relação ao Aaron, querem tirá-lo dela, mas na verdade se trata de apenas uma armadilha de Ben para convencê-la a voltar à ilha. Locke parte em missão para buscar os seis da Oceanic. Começamos a descobrir relações entre o pessoal do cargueiro e a Iniciativa Dharma. Locke é assassinado por Ben em Los Angeles. Os sobreviventes agora fazem parte da iniciativa Dharma de 1977.Sun está em 2007 com Frank Lapidus e Ben. Mais sobreviventes estão na ilha, resultado de outro acidente aéreo, que trouxe os oceanic six de volta à ilha, sob o comando de Ben, já que Locke foi assassinado por ele.

Partes do grupo volta no tempo, para 1977, onde se integram à Iniciativa Dharma. Os demais permanecem em 2007, inclusive "Locke". O Inimigo de Jacob se materializa como Locke e engana todos para que consiga convencer Ben a matar Jacob. A identidade de Jacob é revelada. Ilana, Bram, Lapidus e os seguidores de Jacob revelam à Richard, Sun e aos Outros o verdadeiro John Locke, morto dentro de uma caixa encontrada no compartimento de carga do avião.

Logo após o assassinato de Jacob, a temporada termina com Juliet explodindo uma bomba de hidrogênio após ser sugada pela energia da Estação Cisne. Após a explosão, a tela fica branca e o letreiro de Lost vai ficando mais nítido com o passar dos segundos, e então o episódio termina.

6ª temporada (2010)

Em maio de 2007, o presidente da ABC Entertainment, Stephen McPherson, anunciou que Lost terminará em 2010.

"Nós sentíamos que esta era a única maneira de dar a Lost um final criativo e apropriado", disse McPherson. Começando com a temporada de 2008, haverá 48 episódios até o final da série, programados para serem transmitidos em três temporadas: 4ª temporada (14 episódios), 5ª temporada (17 episódios) e 6ª temporada (17 episódios), que será a última. Estas temporadas começaram em 2008 e vão até 2010, com um intervalo de sete meses entre cada. Nos Estados Unidos, as temporadas iniciam-se em janeiro e terminam em maio.

O aviso da ABC foi chamado de "sem precedentes" pelos produtores executivos Damon Lindelof e Carlton Cuse. Lindelof e Cuse também disseram que "Lost tem um início, um meio e um fim". O co-criador J.J. Abrams também elogiou a decisão, comentando que "é a opção apropriada para a série e seus telespectadores. Aplaudo a ABC e Touchstone Television pela decisão".

A trama da sexta e última temporada de lost se baseia no confronto entre dois adversários, os quais supostamente trabalham a mente dos losties. Um deles é Jacob, agora morto, e o outro é seu rival, que descobrimos também ser o monstro de fumaça. Nessa temporada além de termos flashbacks e flashforward, temos também flashsideways, que são nada mais nada menos do que eventos que acontecem numa realidade paralela, na qual os Losties nunca caíram na ilha, que se encontra submersa.

Com o passar do tempo, parece que os personagens da realidade paralela começarão a ter recordações da realidade na qual eles caíram na ilha.

Resta saber onde essas duas realidades irão se encontrar.

Fonte: www.abril.com.br, pt.wikipedia.org

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade