Soledade pede ajuda à Funasa para proteger suas nascentes

Por Redação em 30/05/2010
nao. (Foto: Ulisses Nenê / Core RS)
Soledade pede ajuda à Funasa para proteger suas nascentes

Localizada em uma das regiões com maior abundância de água no Rio Grande do Sul, no Planalto Médio, Soledade começa a enfrentar problemas de poluição do rio Espraiado, por falta de saneamento básico.

Hoje (28), a cidade recebeu a visita do coordenador da Funasa no Rio Grande do Sul, Gustavo de Mello que, a convite do prefeito Gelson Renato Cainelli, percorreu por duas horas a Vila Primavera, na periferia.

Ali vivem quatro mil famílias carentes, em condições insalubres, junto a várias nascentes que estão sendo contaminadas por todo o lixo e dejetos domésticos produzidos na comunidade.

O material é jogado nas nascentes e segue por córregos e valões escuros, malcheirosos, que atravessam a cidade em várias direções, recebendo mais resíduos até o rio Espraiado.

O prefeito alerta que, além do perigo para a saúde pública, o problema poderá, em breve, afetar o abastecimento da cidade. “É uma situação extremamente preocupante e angustiante”, disse Cainelli. Ele pediu ao coordenador o seu apoio a um projeto de sistema de esgoto sanitário (coleta e tratamento de esgotos), no valor de R$ 6 milhões, que foi cadastrado e está na fase de análise e seleção na presidência da Funasa, em Brasília.

Soledade é conhecida pelo comércio de pedras preciosas, porém, não tem condições de realizar sozinha os investimentos necessários em saneamento, ressalta Cainelli. A cidade cresceu junto às suas nascentes, sem nenhum planejamento, cabendo à atual administração o desafio de garantir a água das novas gerações.

Gustavo de Mello ficou impressionado com a quantidade de nascentes e concordou que elas precisam ser protegidas com urgência por meio do saneamento, além da recomposição das matas ciliares, controle de áreas de risco e educação da população. Parte da comunidade visitada já foi incluída no programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal.

“A inclusão de Soledade no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) pode representar um investimento que vai dar proteção às nascentes de alguns dos rios mais importantes do Rio Grande do Sul, como o Taquari, Espraiado e Jacuí”, afirmou o coordenador.

Gustavo de Mello também compareceu à oficina de Planos Municipais de Saneamento Básico que a Funasa promoveu na cidade, quinta e sexta-feira (27 e 28), para servidores de 14 prefeituras da região, a convite da Associação dos Municípios do Alto da Serra do Botucaraí.

A atividade foi ministrada pelos servidores da Funasa/RS que integram o Núcleo Intersetorial de Cooperação Técnica (Nict), no Salão Nobre da Prefeitura de Soledade.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade