Com equilíbrio estatístico, Brasil vence na precisão

Domínio contra marfinenses foi inferior ao visto contra Coreia do Norte, mas finalizações certeiras definiram placar mais folgado

Por Redação em 21/06/2010

   

nao. (Foto: Divulgação)
Com equilíbrio estatístico, Brasil vence na precisão

Além de duas vitórias nas duas primeiras partidas da Copa, o Brasil, em ambos os jogos, dominou os adversários em todas as principais estatísticas. Curioso, no entanto, é perceber que os números mais discrepantes em relação à Coreia do Norte resultaram em vitória por apenas um gol, 2 a 1, enquanto contra a Costa do Marfim, mesmo com certo equilíbrio, o placar foi mais folgado.

A posse de bola brasileira contra os asiáticos, por exemplo, foi de 63% contra 37%, o maior domínio de uma equipe sobre o adversário em todos os jogos da primeira rodada do Mundial. Contra os africanos, o índice caiu para 56% contra 44%.

O número de chutes a gol também foi muito mais próximo no jogo deste domingo. Doze brasileiros contra dez marfinenses, sendo seis e quatro com direção ao gol, respectivamente. Contra a Coreia do Norte foram 26 chutes contra 11, 10 a 3 em chutes certos.


O melhor aproveitamento das oportunidades, com isso, foi a chave do sucesso brasileiro. Enquanto os atacantes de Dunga converteram em gol metade dos chutes certos, Drogba e companhia tiveram aproveitamento de apenas 25%.

Depois de dois jogos, portanto, tanto as estatísticas quanto os placares indicam que a seleção brasileira vem cumprindo a principal cobrança do técnico Dunga, de aproveitar as chances criadas, ainda que sejam poucas e anular as dos adversários. Em outras palavras, o futebol de resultados apresentado pela seleção nos últimos anos continua funcionando.


Fonte: ig.com.br

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade