Mulheres experimentam mais de 20 mil peças de roupas ao longo da vida

Levantamento revelou que elas chegam a comprar metade das peças experimentadas

Por Redação em 11/08/2010

   

nao. (Foto: Divulgação)
Mulheres experimentam mais de 20 mil peças de roupas ao longo da vida

Mulheres vão experimentar mais de 21 mil peças de roupas durante sua vida inteira, mas só comprarão metade delas, mostra um estudo publicado no Daily Mail nesta terça-feira, feito pela Sue Beck, gerente de marca da grife Lambrini.

Em média, as mulheres vão ao shopping cerca de quatro vezes por mês e desaparecem nos provadores com cerca de dez peças, como várias calças jeans, vestidos e sapatos. Pela conta, são 40 itens experimentados por mês, um total de 480 por ano. No entanto, apenas cinco peças de cada uma dessas investidas em lojas são compradas, ou seja, 240 roupas por ano; 10.560 durante a vida, numa média de 45 anos de idas a shoppings.

Na pesquisa, também foi constatado que as mulheres experimental regularmente roupas em lojas, sem intenção alguma de comprá-las.

— Para muitas mulheres, experimentar roupas é a melhor parte. Passar horas trocando peças, ousando se ver com visuais que talvez nunca tivesse coragem de usar em público, é uma delícia — explica Sue Beck.

O estudo foi feito com 3 mil mulheres e revelou ainda que 84% delas dizem que saem só para ver vitrines e acabam sempre comprando alguma coisinha. A pesquisa mostrou ainda que em média um dos itens comprado nunca sera usado ou será trocado por não ter caído bem.

Cerca de 40% das mulheres admitem que não gostaram de uma das peças assim que chegam em casa. Também apareceu na pesquisa que 85% delas se arrependem de alguma compra depois que já terem consumido. E a mesma porcentagem admite que se arrepende de alguma peça que deixou de comprar.


Fonte: clicrbs.com.br

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade