Para aproveitar o champanhe, trate-o como cerveja, diz estudo

Físico francês afirma que a bebida fica mais borbulhante quando servida em um copo inclinado

Por Redação em 23/08/2010

   

nao. (Foto: Divulgação)
Para aproveitar o champanhe, trate-o como cerveja, diz estudo

O champanhe pode ser um símbolo da vida chique, mas, segundo um novo estudo, ele é melhor quando servido num copo inclinado – assim como outra bebida gasosa, a plebeia cerveja.

Isso acontece porque as bolhas – ou dióxido de carbono dissolvido – no champanhe liberam seu aroma e causam um sentimento de cócegas, que engrandece a experiência de bebê-lo. Quanto maior a concentração de bolhas, melhor.

A melhor forma de manter as bolhas na bebida, como qualquer bebedor de cerveja já sabe, é deixar o líquido ser derramado gentilmente pela lateral de um copo inclinado.

Quando o champanhe é vertido num copo na posição vertical, ele perde duas vezes mais a quantidade de bolhas, disse Gerard Liger-Belair, principal autor do estudo e físico da Universidade de Reims, no coração da região de Champagne, na França.

“Ocorre maior turbulência e mais movimento no líquido num derramamento vertical”, explicou Liger-Belair. “Quando você inclina o copo, o líquido invade o espaço com menos força”.

Os cientistas mediram as bolhas em copos de champanhe servido da forma tradicional e como cerveja, em três temperaturas diferentes.

Eles descobriram que a perda de bolhas é ainda mais minimizada quando o champanhe é servido resfriado.

Porém, a ciência pode não ser suficiente para mudar a forma pela qual um país serve a bebida.

“Para muitos franceses, servir champanhe dessa forma seria bastante provocativo”, afirmou Liger-Belair. “O champanhe vem de um universo com muita tradição”.

O estudo foi publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry.


Fonte: ig.com.br

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade