Fórum de encerramento do Projeto Agriquality é realizado na Emater/RS-Ascar

“Este não é o final. É o início de um futuro que vai melhorar as condições de vocês”

Por Redação em 08/12/2010
nao. (Foto: Divulgação)
Fórum de encerramento do Projeto Agriquality é realizado na Emater/RS-Ascar

“Este não é o final. É o início de um futuro que vai melhorar as condições de vocês”. Essas foram as palavras do diretor da área de Cooperação Internacional – ANFE/Itália e diretor do Projeto Agriquality durante a abertura do fórum de encerramento das atividades de 2010, nesta terça-feira (07), na sede da Emater/RS-Ascar, em Porto Alegre. Participaram da cerimônia o diretor da Emater/RS, Alencar Rugeri, o gerente da Associação Italiana do Rio Grande do Sul – ACIR, Marco Traverso, da representante do cônsul geral da Itália em Porto Alegre, Lorella Chiritzi, o superintendente Federal de Agricultura no RS, Francisco Signor, o diretor de Desenvolvimento Agrário da Seappa, Carlos Pacheco, além dos alunos e instituições envolvidas no projeto.

O Projeto Agriquality, financiado pelo governo da Itália, desenvolve ações para a formação de técnicos para a produção de qualidade no setor de laticínios. Para o diretor técnico da Emater/RS, Alencar Rugeri, esse é um momento de orgulho para a Instituição. “É um projeto importante por incentivar os avanços na qualificação da produção leiteira e é um reconhecimento além das fronteiras do Brasil do nosso trabalho na execução da Extensão Rural no RS”, destaca Rugeri.

Ao longo do dia, as palestras foram sobre a qualidade e segurança alimentar na produção de laticínios, as experiências de formação e inserção no mercado de trabalho e novas ideias para cooperação no setor da agricultura sustentável. Pela manhã, Marcello Cerasola, da ANFE Sicília e diretor do Projeto Agriquality, falou sobre o projeto piloto para a formação de técnicos na produção de laticínios artesanais de qualidade. Já Guglielmo Portelli, da CROFILAC, comentou sobre a pesquisa aplicada para a melhoria da qualidade da produção histórica.

À tarde, Natale Marcomini, da Federação Nacional Agrícola da Itália, apresentou dados sobre o mercado mundial dos produtos orgânicos e as políticas produtivas e comerciais. “Qual é a direção dos mercados no mundo?”, pergunta Marcomini. “É importante saber”, diz ele ao informar que o maior mercado Europeu para os orgânicos está na Alemanha, que na Itália são servidas 1 milhão de refeições por dia produzidas com produtos oriundos da agricultura familiar e orgânicos, e que o setor que mais se desenvolve no mundo é o de cosméticos orgânicos. “E não podemos esquecer que na Copa do Mundo de 2014 no Brasil os atletas irão consumir basicamente alimentos produzidos de forma orgânica. O mercado de orgânicos por venda direta está em crescimento e esse é um bom momento para o setor”, avalia Marcomini.

O representante do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Cleber Farias de Souza, apresentou como está a produção de orgânicos no Brasil e no RS. Souza falou na necessidade de investimentos em pesquisa para desenvolver o setor que está em crescimento. “Estamos investindo no fortalecimento da educação em agroecologia e sistemas orgânicos de produção e no fomento da organização e articulação de agentes da Rede de Produção Orgânica”.

No final do encontro, o secretário da Agricultura do RS, Gilmar Tietböhl, referendou a Carta de Princípios do fórum. A Carta propõe a ampliação da cooperação entre Brasil e Itália para o desenvolvimento de boas práticas de sustentabiliade ambiental, econômica e social no setor da agricultura orgânica. “Temos muito o que avançar em termos de qualificação da produção no Estado e estamos no caminho para isso”, afirmou Tietböhl.

Participam do evento a A.N.F.E. Sicília, ACIRS, CORFILAC, FEBERBIO, Consulado Geral da Itália em Porto Alegre, Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Agronegócio, Ministério da Agricultura, UFRGS, Sindicato Rural de Viamão e Emater/RS-Ascar. Na oportunidade, foram entregues os certificados de conclusão pela participação no Projeto Agriquality.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade