Modo de dirigir e cuidados ajudam a economizar

Fuja da banguela

Por Redação em 21/02/2011

   

nao. (Foto: Divulgação)
Modo de dirigir e cuidados ajudam a economizar

Quando um consumidor vai comprar um carro, principalmente se for um popular, a primeira pergunta costuma ser ‘qual é o consumo deste veículo?’. O que as pessoas esquecem, no entanto, é como a forma de guiar e a aplicação de alguns cuidados diários influencia no consumo, um quesito cada vez mais determinante no negócio.

Para Antônio Gaspar, presidente do Sindirepa-SP (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de São Paulo), a atenção diária é primordial. ‘Qualquer cidadão pode ter cuidados básicos que vão ajudar o carro a gastar menos combustível, como calibrar os pneus, evitar o excesso de peso e andar com as janelas fechadas em função da turbulência causada na cabine’, disse. ‘A pressão dos pneus não pode estar baixa, senão o carro vai ter um arrasto maior e precisar de esforço para andar, o que resulta em um gasto maior’.

Outro fator apontado por Gaspar foi a qualidade do combustível. ‘Com gasolina ou álcool de baixa qualidade, o motor não fará uma queima adequada e precisará de mais fluido para percorrer uma mesma distância. É desperdício’, afirmou. ‘É importante também manter o alinhamento. Se as rodas estiveram viradas para dentro, por exemplo, além de desgastar mais os pneus, vai prejudicar o funcionamento do carro e, por consequência, o consumo’, finalizou Gaspar.

‘A manutenção do carro é um aspecto importante para reduzir o consumo. É sempre bom trocar filtros de ar e de combustível e as velas no período indicado no manual do proprietário’, recomenda Carlos Henrique Ferreira, assessor técnico da Fiat.

Modo de dirigir também influencia

Além de tomar cuidados primordiais com o carro, o motorista precisa ser cauteloso na hora de dirigir. O principal vilão é o tráfego intenso, quando o carro anda engatado com marchas baixas e as paradas são frequentes. Estradas sinuosas, com muitas subidas ou em mau estado de conservação também influenciam negativamente no gasto.

Ao sair com o veículo, não o aqueça parado. Dessa forma, o motor demora mais para atingir a temperatura ideal. O correto é partir devagar e não elevar demais o giro. Evite também acelerações desnecessárias, como com o veículo parado ou antes de desligá-lo. O indicado é, ao atingir velocidades mais altas, utilizar as marchas mais longas. O contraponto é o desempenho que será afetado em prol do consumo de combustível.

Andar em excesso de velocidade é outro fator prejudicial. Segundo Ferreira, da Fiat, entre 90 e 120 km/h, o aumento do gasto fica em torno de 30%. ‘O correto é manter uma velocidade uniforme, evitando freadas e retomadas bruscas, que além de fazer o carro gastar mais ainda aumentam a emissão de poluentes’. Para subir ladeiras, o certo é acelerar antes de começar o aclive. Acentuar a aceleração no meio da subida só fará aumentar o gasto.

Fuja da banguela

Entre muitos mitos sobre a direção, está a de usar a banguela para economizar combustível. Na verdade, deixar o motor desengatado tem efeito contrário em carros com injeção eletrônica. Para realmente economizar, o ideal é descer sempre com o carro engatado. Com o acoplamento com o câmbio, a injeção interrompe o fornecimento de combustível e o motor continua a funcionar ‘por inércia’, ou seja, gira com a força das rodas e não com a queima de fluido. O consumo, neste caso, é zero.

‘Outro motivo para não usar a banguela é a segurança. Se o motorista precisar escapar de uma situação de emergência, o carro estará solto’, disse Ferreira. ‘Além disso, o freio será sobrecarregado. Com uma marcha engatada, o veículo estará preso pelo freio-motor’, disse.


Fonte: www.icarros.com.br

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade