Japão pede ajuda de agência da ONU para controlar crise nuclear

Reatores de usinas afetadas por tremor e tsunami estão intactos, diz AIEA. Autoridades trabalham sob circunstâncias 'extremamente difíceis'

Por Redação em 14/03/2011

   

nao. (Foto: Divulgação)
Japão pede ajuda de agência da ONU para controlar crise nuclear

O chefe da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA, uma agência da ONU), Yukiya Amano, disse nesta segunda-feira (14) que o governo do Japão pediu ajuda a seus especialistas para lidar com a crise nuclear que aflige o país desde o terremoto de magnitude 8,9 seguido de tsunami que atingiram o país na sexta feira, provocando mortes e destruição.

Amano, que é um veterano diplomata japonês, disse que o tremor e o maremoto abalaram e inundaram usinas nucleares na região, mas que os reatores permaneceram intactos e que o vazamento de radiação foi limitado.

"As autoridades japonesas estão trabalhando o máximo que podem, sob circunstâncias extremamente difíceis, para estabilizar as usinas nucleares e garantir a segurança", disse Amano em comunicado aos membros da agência.

Segundo ele, as autoridade da AIEA e do Japão estão discutindo os detalhes sobre como será a cooperação.

A usina nuclear de Fukushima 1, a 240 km ao norte de Tóquio, sofreu explosões em dois de seus reatores, no sábado e nesta segunda.

O acidente já é considerado o pior do mundo desde o de Chernobyl, na Ucrânia, em 1986.

Ele levantou críticas de que as autoridades japonesas estavam mal preparadas para a situação.

A operadora da usina, a Tokyo Electric Power Co (TEPCO), disse que as barras de combustível do reator 2 ficaram completamente expostas, o que poderia levar a um derretimento.

Isso aumentaria o risco de vazamento de radiação.

Mas as autoridades afirmaram que o núcleo radioativo dos reatores danificados pareciam estar intactos.

Amano confirmou essa informação.

O Japão também pediu formalmente aos EUA que ajudem a lidar com a situação, segundo a Comissão de Regulação Nuclear americana.


Fonte: g1.com.br

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade