Fórum Regional discute resíduos das Indústrias de Pedras Preciosas

Durante o Fórum, 4 painéis foram apresentados discutindo o tema

Por Juliano Tonezzer em 05/05/2011

   

Grande número de pessoas prestigiram o Fórum.. (Foto: Marilei Pessatti / ClicSoledade)
Fórum Regional discute resíduos das Indústrias de Pedras Preciosas

O Fórum Regional Resíduos das Indústrias de Pedras Preciosas foi realizado na Exposol 2011 nesta quinta-feira, 05 de maio, às 14 horas, e na ocasião foram apresentados quatro painéis referentes a temática do fórum.

No painel 1, a Engenheira Química da FEPAM, Carmem Níquel, palestrou sobre a Legislação Ambiental e Políticas Públicas para Resíduos Oriundos da Atividade de Beneficiamento de Gemas, apresentando de forma clara as principais leis e resoluções ambientais aplicáveis ao setor de beneficiamento de gemas. Foi enfatizada a importância de atender algumas metas para a sustentabilidade ambiental, onde existe a busca do atendimento das necessidades atuais sem o comprometimento das gerações futuras. A sustentabilidade ambiental é uma necessidade incontestável.

A política nacional do meio ambiente caracteriza a função dos órgãos ambientais em licenciar as atividades com potencial poluidor, cabendo a estes órgãos definir as diretrizes para tal controle, migrando entre os três tipos de licença existentes, a licença prévia, de instalação e operação. Porém, o ato de evitar os impactos ambientais é a perspectiva da prevenção, sendo o licenciamento ambiental um fator de competitividade no mercado globalizado.

Os princípios ambientais de qualquer indústria deveria passar pelo processo de otimização do sistema produtivo, na perspectiva de evitar a geração do resíduo e quando isso for inevitável, havendo a preocupação em minimizar esta geração e dentro desta visão buscar a reutilização e por fim a disposição adequada do resíduo final.

Questionou sobre o a situação de Soledade para Municipalização do Licenciamento Ambiental, com isso o município fica apto para licenciar diversas atividades de impacto local, porém ainda não há registro do pedido para licenciamento ambiental municipal na Fepam.

Quanto aos resíduos gerados pela atividade de beneficiamento de gemas no município citou formas de gerenciamento, o ideal seria não gerar resíduo se não for possível então se deve minimizar o resíduo buscando formas de reaproveitamento em outros setores.

No painel 2, a palestrante Heidi Frantz Moraes representante do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – RS (EAP SENAI de Soledade) o Painel sobre a Unidade de Tratamento de Efluentes.

Na sua explanação, comentou que foi realizado somente um tratamento na Unidade de Tratamento de Efluentes, a unidade está devidamente licenciada pela Fepam para realizar o tratamento de efluentes líquidos e somente as indústrias que possuem licença podem enviar seus efluentes líquidos para tratamento.

Apresentou também projetos desenvolvidos pelo SENAI no setor de gemas, dando um maior enfoque ao GEJORS que ocorreu no período de 2006 a 2009. Este projeto teve como objetivo avaliar a capacidade de absorção de corantes pelas ágatas do Rio Grande do Sul e parte do Uruguai. Devido a diferenças na formação geológicas, o Rio grande do Sul destaca-se por apresentar ágatas com qualidade superior na absorção do que as Uruguaias. Neste projeto constatou que a coloração é mais acentuada na borda e no centro das gemas.

Além disso, o SENAI desenvolveu tanques de tingimento onde a água usada na lavagem é reutilizada visando a redução da geração de efluentes líquidos. O SENAI emprega o Biodiesel nas máquinas usadas no processo de beneficiamento, reduzindo também a quantidade de óleos que ao final do processo são resíduos provenientes do processo industrial.

O Painel 3 teve como tema, orientada do Prof. Carlos Bergmann, Paula Luciana Bezerra, o Lodo gerado a partir do corte de gemas: problemática e soluções.

Na sua explanação, comentou que o aproveitamento de resíduos contribui para a conservação de recursos naturais e limita o estoque de rejeitos e que para utilizar os rejeitos como matéria-prima natural é necessário entender suas características e avaliar possibilidade de aplicação em outros setores.

Relatou também que no beneficiamento de ágatas são gerados diferentes resíduos - fragmentos de rocha com granulometria variada e pasta ou lodo composta por pó da rocha misturado com o óleo diesel do processo de beneficiamento (armazenado em tambores fechados conforme determinação FEPAM aguardando possível destino).

Explanou sobre um projeto desenvolvido no LACER Obtenção de cerâmica vermelha utilizando resíduo argiloso do rerrefino de óleos minerais que teve por objetivo avaliar a incorporação do resíduo argiloso obtido no rerrefino de óleos minerais na produção de materiais cerâmicos tradicionais (cerâmica vermelha).


O painel 4 foi sobre a Reutilização de Rejeitos da Indústria de Pedras Preciosas na Indústria Cerâmica, Construção Civil e Impressão 3D de Artefatos Cerâmicos, apresentado pela Dra. Daiane Folle – CTPedras, MSc. Carlos Edmundo de Abreu e Lima Ipar - CT Pedras e MSc. Ana Caroline Teloeken – LACER – UFRGS.

A Dra. Daiane Folle relatou que os objetivos do projeto são aliar sustentabilidade e tecnologia, desenvolvimento de matéria-prima a partir dos rejeitos oriundos dos processos de beneficiamento da região, agregar valor aos rejeitos e aumentar a produtividade dos recursos naturais.

Informou também sobre a utilização dos resíduos sólidos na construção civil visando oferecer produtos e soluções ecoeficientes para a construção civil por meio da utilização de resíduos industriais.

O MSc. Carlos Edmundo de Abreu e Lima Ipar relatou que no CTPedras de Soledade é realizado a etapa que objetiva reutilizar os rejeitos sólidos oriundos do processo de beneficiamento para a impressão 3 D de artefatos cerâmicos. Já foram realizados testes para a granulometria e testes de aglutinação do pó que será utilizado na impressora 3 D.

A MSc. Ana Caroline Teloeken – LACER – UFRGS indagou sobre a incorporação do resíduo do beneficiamento da ágata em cerâmica vermelha e realizou testes de granulometria e avaliou o processo de moagem dos rejeitos.

Ao final foi realizado um debate com os presentes e foi elaborado um documento inicial com sugestões para a gestão dos resíduos das indústrias de pedras preciosas. Esse documento será enviado aos participantes para complementações.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade