Entrevista com Thaíz Schmitt, coelhinha da Playboy

Thaíz conta como realizou seu sonho e os que possivelmente serão realizados

Por Mariana Teixeira em 15/04/2009

   

Thaíz conta como realizou seu sonho e os que possivelmente serão realizados. (Foto: Mariana Teixeira)
Entrevista com Thaíz Schmitt, coelhinha da Playboy

Sobre uma libriana de Soledade, que aos 19 anos foi buscar seu lugar ao sol, e em menos de um ano em São Paulo se tornou a coelhinha oficial da Playboy, a revista mais conceituada no ramo.


O sonho realizado

Segundo Thaíz, desde pequena se via famosa, fez cursos de modelo, e cada concurso que ganhava percebia que aquilo era o que realmente lhe fazia feliz. Por insistência da família acabou adiando seu sonho, visto que era muito nova para ir para a capital da moda no Brasil, porém mais tarde e mais madura foi para São Paulo, e hoje realizou alguns de seus sonhos, ser coelhinha e capa da Playboy.

“O que nos leva às coelhinhas. Estas nada têm a ver com a Páscoa. São uma invenção do lendário Hugh Hefner. Jornalista de profissão, Hefner deixou a elegante Esquire, depois que lhe negaram aumento (queria 5 dólares a mais por mês); vendeu a mobília, conseguiu mil dólares com a mãe e lançou, nos anos 1950, uma revista que ficaria famosa”.

Artigo de Moacir Scliar, encontrado na íntegra em:
http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a2470716.xml&template=3916.dwt&edition=12079§ion=1026



As dificuldades do caminho

Logo que Thaíz chegou em São Paulo, morou nas chamadas “casas de agências”, referindo-se a casas alugadas pelas agências de modelos, onde grupos de meninas recém vindas de outros estados moram até se estabilizarem no trabalho. Disse que a maior dificuldade é a falta de solidariedade, a inveja e o sumiço de alguns itens básicos, como comida. Ainda conta que amigas que já foram para o exterior, onde estas casas abrigam meninas de toda parte do mundo, já sofreram roubos de roupas e sapatos.

Na questão de contratos, nunca houve dificuldades, já que sua agência e a assessoria da Playboy cuida de tudo, e repassa para ela tudo finalizado, com aval do que é bom ou não para ela no momento, ou seja, ela está tranqüila em relação aos trabalhos, pois ela conta com total profissionalismo das empresas da qual trabalha.


A importância do apoio

Sem dúvida o apoio da família foi essencial para a realização de seus sonhos, Thaíz deixa claro que a base familiar é tudo neste momento de sucesso. Sem perder a simplicidade, não demonstra nenhum deslumbramento devido à carreira.

Ela conta que haverá um concurso entre doze coelhinhas para a capa da Playboy do México no ano que vem, e conta com o apoio de todos os Soledadenses para ganhar pontos suficientes para se classificar.


Solteira, casada, namorando...

A resposta da Thaíz é simples e direta. Que está feliz.

Disse que o assédio por parte dos homens se tornou maior, porém um tanto atrapalhado, já que muitos tem receio de chegar na coelhinha, e acabam se perdendo nas palavras, derrubando câmeras, gaguejando, enfim, mulher bonita causa nervosismo mesmo.

Contou que ganha muitos presentes dos fãs, e que este assédio é sempre bem vindo. Que em algumas situações chegou a ficar com medo, por estar sendo seguida dentro de lugares públicos, mas carrega a fama com tranqüilidade.


A vida agora

A semana em São Paulo passa correndo, trabalhos, viagens, eventos. Thaíz conta que já aconteceu de trabalhos da agência se chocarem com os trabalhos da revista, mas que ela contornou estas situações, sempre dando preferência à revista, visto que carrega o cargo de coelhinha oficial do Brasil.

Thaíz conhece e convive com muita gente famosa, conta que muitos são até mais bonitos pessoalmente, mas procura manter-se centrada em seus objetivos. Ela diz em relação à revista, que quanto mais famosa é a capa, mais o trabalho é intenso para as coelhinhas que acompanham o lançamento de perto. Para ela uma das capas mais marcantes foi a Jackeline Khury, ex BBB, que foi a primeira capa que ela acompanhou, seguida da Mulher Melancia e Sheila Carvalho.


Exigências do Mercado

A assessoria da Thaíz dá o aval do que é melhor para sua carreira no momento, ela evita mudanças muito radicais no cabelo, permanecendo loira. Cuida a alimentação, mas sem muitas restrições, evitando apenas fritura e refrigerante. Ela malha e procura manter seu peso, já que a roupa da coelhinha é confeccionada no Estados Unidos e as medidas devem ser mantidas de acordo com as exigências da revista.


A projeção para o futuro

A princípio Thaíz pretende terminar a faculdade de artes visuais, que fazia quando ainda morava no Sul. Os cursos e workshops referentes à televisão também estão em suas pretensões. Ela ainda diz que sente muito interesse em tudo que se refere à área da comunicação.


Soledade

Sempre que pode ela volta para matar a saudade da família, algumas vezes eles a acompanham em suas viagens. Desde a Páscoa ela está na cidade, vai embora logo, mas talvez de o ar da graça no Parque das Tuias, no encontro dos motociclistas, porém desta vez como Thaíz Schmitt, e não como coelhinha. Sempre simpática e receptiva Thaíz esbanja beleza e maturidade profissional.


Thaíz Schmitt é modelo da Agência BRM Models Management e coelhinha da Playboy, revista pertencente a Editora Abril. O site para a votação da capa do México é: http://www.quepasa.com/playboy2009/contestants.php?group=3

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade