Aposta em nova modalidade de formação

UPF oferece 17 cursos tecnológicos para atender à demanda de mercado e qualificação profissional com ensino superior

Por Redação em 26/08/2009

   

nao. (Foto: Maria Joana Chaise)
Aposta em nova modalidade de formação

Cursos focados em aplicações tecnológicas para a solução de problemas,
para o oferecimento de produtos e serviços à comunidade, mais curtos e
economicamente viáveis, mas que não descuidam da qualidade acadêmica.
Assim são as graduações tecnológicas, modalidade de graduação que é
tendência nacional e à qual a Universidade de Passo Fundo (UPF) tem dado
mais atenção nos últimos semestres.

As graduações tecnológicas são consideradas uma nova modalidade de
graduação, juntamente com as licenciaturas, destinadas à formação de
professores e os bacharelados, cursos mais amplos e generalistas. Os
critérios de avaliação destes cursos tecnológicos, tanto do Ministério
da Educação quanto das instituições de ensino, são os mesmos adotados
para as demais graduações e o encaminhamento para a pós-graduação também
é uma possibilidade, assim como nas demais modalidades.

E é por agregar esses fatores que as graduações tecnológicas estão
atraindo cada vez mais candidatos que desejam formação profissional de
qualidade e em menor tempo. Buscando atender a essa demanda, a UPF está
investindo nos chamados CSTs, os cursos superiores de tecnologia. A
primeira experiência nessa área data de 1994, quando foi criado o Curso
de Produção do Vestuário, tendo seqüência em 2000 com o CST em Sistemas
de Informação. Mas foi em 2008 que a modalidade teve impulso na
instituição, com a oferta de novos cursos.

Diferentes possibilidades de formação
Para organizar a oferta, execução e, mesmo, avaliar o segmento de cursos
tecnológicos, a UPF investiu na criação do Centro de Educação em
Tecnologia. Ao centro já estão vinculadas 17 graduações tecnológicas, e
novas propostas podem surgir em breve. “Nos próximos anos, pretende-se
realizar o lançamento de novos cursos superiores de tecnologia,
contribuindo com a formação de profissionais para atuarem nas áreas de
produção, inovação científico-tecnológica e gestão de processos de
produção de bens e serviços”, explica o coordenador do centro, professor
João Paulo Agostini.

O CET também ganhou vida física na UPF. O prédio B3, antigo Instituto de
Filosofia e Ciências Humanas, agora abriga os cursos superiores de
tecnologia em Estética e Cosmética, Produção de Vestuário, Design de
Moda, e Design Gráfico. Também estão instalados no local uma Sala de
Desenho e laboratórios específicos dos cursos que ali funcionam.

Para além dos cursos em funcionamento no CET, outros seis CSTs estão
formando profissionais atualmente na UPF: Agronegócio, Fabricação
Mecânica, Gestão de Recursos Humanos, Produção Cênica, Logística,
Análise e Desenvolvimento de Sistemas, e Sistemas para Internet.

Primar pela qualidade
A vice-reitora de Graduação, Eliane Lucia Colussi, pretende que a UPF
consolide a experiência relacionada aos CSTs. “Queremos, a cada
vestibular, implantar um pequeno número de cursos, fazendo um bom
acompanhamento e primando sempre pela qualidade”, observa.

A vice-reitora lembra que quando a instituição constituiu a equipe de
trabalho dos CSTs, a busca foi ampliar a política de criação desses
cursos. “A nossa intenção é atender às necessidades do mercado regional
com a formação de profissionais de perfil específico e especializado e
inserir a UPF numa fatia importante de formação superior”, avalia.

“As oportunidades de trabalho são grandes”
Por compreender que estaria se preparando para atender a uma demanda
crescente no mercado de trabalho a estudante Talita Bisolo optou pelo
curso superior de tecnologia em Estética e Cosmética. “A preocupação com
a beleza, a saúde e o bem-estar cada vez é maior”, avalia a aluna, que
ingressou na graduação no início de 2009.

Para ela, o mercado de trabalho exige profissionais cada vez mais
qualificados e com conhecimentos diversificados. “Esses cursos
tecnológicos preparam os alunos para desenvolver o seu trabalho num
período de graduação menor que os demais e as aulas técnicas e práticas
são abordadas logo no início do curso, porque é voltado para o mercado
de trabalho”, acredita.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade