Polícia Civil de Soledade promove mais uma edição da Campanha Natalina

Iniciativa objetiva proporcionar um Natal mais agradável aos pequenos mais necessitados dos bairros do município

Por Lucas Bicudo em 04/11/2016

   

(Foto: Lucas Bicudo / ClicSoledade)
Polícia Civil de Soledade promove mais uma edição da Campanha Natalina

O projeto “Doe um brinquedo e faça uma criança sorrir” já está recebendo as doações que serão destinadas para as crianças carentes de Soledade. A iniciativa é da Polícia Civil de Soledade, que pelo terceiro ano se mobiliza para proporcionar um Natal mais agradável aos pequenos mais necessitados dos bairros do município.

O inspetor de polícia Flávio Batista Rodrigues é quem trouxe a ideia. “Eu, juntamente com minhas duas filhas, realizava esta ação há mais de 15 anos. Faz três anos que falei desta iniciativa e fui prontamente apoiado pelos colegas e chefia, pois desta maneira também aproximamos as crianças da Polícia Civil”, explicou.

As doações já estão sendo arrecadadas e as pessoas interessadas podem deixar itens como brinquedos novos ou usados (em condições de uso), bombons, pirulitos, entre outros. “Aqueles que quiserem dar valores em dinheiro também aceitamos e adquirimos os brinquedos. Nosso intuito é poder levar alegria para o maior número de crianças”, salientou.

Os pontos de coleta estão localizados na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) e na 24ª Delegacia de Polícia Regional. “Para aqueles que não puderem trazer até estes locais, podem ligar para os telefones (54) 3381 9250 e no (54) 8424 4516 que nós vamos buscar, pois toda ajuda é bem-vinda”, disse.

Em 2015, foram doados mais de 600 brinquedos e neste ano, a entrega vai acontecer no dia 21 de dezembro, passando por todos os bairros e contemplando a maioria de crianças.

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade