Com dois a menos, Grêmio empata com Cruzeiro e cala o Mineirão

Herrera marcou o gol gremista aos 46 minutos do segundo tempo

Por Redação em 15/11/2009

   

nao. (Foto: Divulgação, Vipcomm )
Com dois a menos, Grêmio empata com Cruzeiro e cala o Mineirão

Parecia que o filme ia se repetir. O Grêmio jogava melhor, dominava o adversário fora de casa, mas sofria um gol e se descontrolava — dois jogadores foram expulsos: Túlio e Fábio Santos. Mas um gol de Herrera aos 46 minutos do segundo tempo garantiu o empate em 1 a 1 contra o Cruzeiro, em pleno Mineirão. Gilberto havia aberto o placar para o time mineiro.

O empate heroico foi muito comemorado pelo banco de reservas gremista, sobretudo por Marcelo Rospide, que assumiu o time interinamente após a saída de Paulo Autuori. Mas deve ter sido ainda mais comemorado pela parcela vermelha do Rio Grande do Sul: o Cruzeiro estaciona nos 55 pontos, apenas um a mais que o Inter. Já o Grêmio chega a 49 e pula para oitavo.

A velocidade do ataque cruzeirense impôs dificuldade a defesa gremista no começo do jogo. Os três volantes escalados por Rospide — Túlio, Rochemback e Adílson — não melhoraram a marcação. Gilberto, aos três minutos, quase abriu o placar em chute que passou perto do gol de Victor. Aos 15, Wellington Paulista chegou a marcar o gol, mas em posição irregular.

Depois disso, o Grêmio começou a se acertar. Muito por mérito de Douglas Costa, que já começa a se sentir mais confortável com a camisa tricolor. O garoto não teve medo de partir para cima da defesa cruzeirense e, com dribles insinuantes, quase sempre levou vantagem. Também arriscou bons chutes de longa distância, a 1 e aos 14. No segundo lance, o goleiro Fábio evitou o gol.

O time melhorou ainda mais a partir da saída de Réver, aos 31 minutos. O zagueiro levou a pior em dividida com Diego Renan, pouco antes, e se machucou. Sem zagueiros no banco, Rospide mandou Maylson a campo. Túlio foi para a lateral e Thiego ocupou o espaço aberto na zaga. Maylson entrou bem e quase abriu o placar em dois chutes de longa distância.

No segundo tempo, o equilíbrio de forças não se alterou. O Grêmio continuou melhor, com maior posse de bola e comandando as ações no ataque. A torcida mineira então começou a ensaiar os gritos de “raça” para o time e de “Guerrón” para Adilson Batista. O técnico atendeu o pedido e fez uma alteração dupla, mandando a campo Guerrón e Soares, ex-Grêmio.

E logo na primeira jogada da dupla, o Cruzeiro chegou ao seu gol. Aos 19, Guerrón escapou em velocidade e cruzeiro na área para Soares. O atacante foi derrubado pelo goleiro Victor, e o arbitrou marcou pênalti. Gilberto, outro que já defendeu a camisa do Grêmio, cobrou no canto direito e abriu o placar.

O gol levantou a torcida mineira e desestabilizou o Grêmio. Aos 39 minutos, Túlio cometeu falta no campo de ataque, reclamou e recebeu cartão vermelho direto. Quatro minutos depois, Fábio Santos caiu na provocação de Wellington Paulista, tentou dar uma cotovelada no rival e também foi para a rua.

Mas os jogadores do Grêmio não se contentaram com mais uma derrota fora de casa. Pelo menos não os argentinos. Aos 46, Maylson deu belo passe para Maxi López. O atacante invadiu a área e tocou para Herrera, que precisou de duas tentativas para marcar. Era o gol do empate. Para satisfação de gremistas, colorados, são-paulinos, palmeirenses, flamenguistas e também atleticanos.

ClicEsportes

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade