No Dia do Rock, saiba como o estilo musical influenciou o mundo fashion

13 de julho, o dia do Rock

Por Redação em 14/07/2009

   

nao. (Foto: Divulgação)
No Dia do Rock, saiba como o estilo musical influenciou o mundo fashion

Desde que o rock surgiu, entre meados dos anos 1940 e começo dos 1950, trouxe consigo uma irreverência na moda que influenciou criadores e consumidores em todo o mundo. Mesmo em seus momentos mais certinhos, pensando em Elvis Presley ou nos Beatles de terno, havia sempre uma atitude de rebeldia no ar.

Apesar de inúmeras versões e maneiras de se vestir, os estilos metaleiros e punk perpetuaram-se na moda, fazendo do rock, cujo dia é comemorado hoje, 13 de julho, o mais fashion dos gêneros musicais.

Claro que o estilo não se resume a esses dois grupos, mas basta pensar em ver alguém usando roupa preta e coturno ou roupa rasgada para associar na hora a aparência com a música. Hoje, as referências são levadas às passarelas nacionais e internacionais, com um estilo chamado rock chic. Reinaldo Lourenço, Ellus, Cavaleira, Colcci sempre trazem elementos do ritmo musical em seus desfiles. No desfile de inverno, a Triton misturou elementos da nobreza britânica a outros de rock.

Os metaleiros, músicos ou seguidores do estilo mais pesado de ritmo, surgiram com a banda Black Sabbath, fundada em 1968, na Inglaterra, e encontraram em Ozzy Osbourne seu mais fiel garoto-propaganda. Com referências ao ocultismo, o visual adotou o preto como uniforme. Peças dramáticas, muitas até fantasias, se misturavam a calças pretas, coturnos e jaquetas de couro com tachas.

A partir daí, gerações de bandas de várias vertentes musicais passaram a usar o figurino que se tornou estilo reconhecido em todo o mundo. Mesmo quando não brincava com Satanás ou com figuras fantásticas, o preto estava lá. E é assim até hoje.

Punks
Na década de 1970, de novo na Inglaterra, os punks passam a usar tecidos puídos, rasgados e a subverter o uso de materiais considerados nobres, como os xadrezes que identificavam clãs familiares desde o século 3.

Entram em cena os jeans rasgados, as camisetas e a estampa xadrez. A mistura do metal com o punk deu origem a inúmeros herdeiros desses clãs musicais.

Posers
Os posers - nome dado aos músicos da década de 1980, que usavam roupas chamativas, muitas apenas usadas por mulheres - colocaram na mistura os acessórios e muita extravagância.

Lembre das calças muito justas, em um tecido que ficou conhecido como Spandex, usadas por David Lee Roth, vocalista do Van Halen, ou da versão em couro usadas por músicos como Axl Rose, vocalista da banda Guns'n'Roses, que também colocou a bandana no uniforme roqueiro.

Nessa época, os homens também usavam maquiagem e longas e volumosas cabeleiras, que passaram a ser chacoalhadas, dando origem a um outro apelido: os headbangers , literalmente, os batedores de cabeça.

Ainda na década de 1980, surgiram bandas que, com visual mais agressivo, repudiavam os modos dos colegas posers . Esses músicos vinham de calça preta justa e geralmente uma camiseta, preta também, é claro, de sua própria banda ou de outras que admiravam.

As camisetas, aliás, são as peças que mais simbolizam o estilo roqueiro. Entre as mais famosas está a da banda inglesa Motorhead, criada em 1975, e que é uma das mais vendidas até hoje. "A banda ganhou mais dinheiro com a venda das peças do que com a música", diz o empresário musical inglês Richard Ogden, 60 anos, que também cuidou da carreira de Paul McCartney nos anos 1990.

Na linha 'não estou nem aí para o que eu visto', vieram os grunges no começo dos anos 1990, também com cabeleira. A diferença é que em vez de com volume e bem cuidada, vinha suja mesmo e desgrenhada, como as madeixas do finado Kurt Cobain, vocalista da banda Nirvana, ícone máximo do movimento.

Rebeldia
Para Richard Ogden, a moda caminhou ao lado de uma atitude rebelde. Ele aponta uma cena da década de 1950 como uma das mais marcantes da história do rock. "Para mim uma das imagens mais fortes é a de Elvis Presley cantando no programa de Ed Sullivan na TV em 1956", afirma o empresário, que mora no Brasil há dois anos e já trabalhou também com artistas como Ivete Sangalo e Sandy & Junior.

A imagem foi cortada para que o cantor aparecesse apenas da cintura para cima e seus movimentos, considerados obscenos, não fossem filmados. "Isso tornou o gênero conhecido mundialmente e o associou a algo negativo, que é do que se trata o rock, algo para os pais não gostarem."

Ogden lembra da "rivalidade", já na década de 1960, entre os Rolling Stones, que eram paramentados para que os pais não gostassem e os Beatles, que se vestiam como bons moços, para que os pais gostassem. "John Lennon não gostava dessa imagem, queria ser um astro do rock e usava cabelos compridos", diz.

O empresário diz que até a década de 70, as bandas tinham sentido social e que isso não existe mais. "Ninguém está mais interessado no que as bandas têm a dizer, é algo apenas que consumimos", diz.

Mulheres do rock
Apesar de ser um gênero predominantemente masculino, as mulheres também marcaram gerações entre os roqueiros. Uma das primeiras a tornar-se referência musical e de roupa foi a inglesa Lita Ford, ex-vocalista na banda The Runaways, formada em 1975 apenas por mulheres.

Com cabeleira leonina loira, roupas extravagantes, Lita protagonizava cenas sensuais no palco, usando peças provocantes, que incluiam até fio dental com meia-calça e botas.

Ex-integrante da banda e que depois fez sucesso em carreira-solo, Joan Jett continuou a firmar as mulheres no rock, mas com menos afetação. Deborah Harry, do grupo Blondie, também formado na década de 1970, se tornou ícone fashion influenciando gerações. Seu estilo mais feminino ajudou a construir uma nova linguagem para as mulheres no rock. Depois dela, elas podiam usar salto alto em vez de coturnos.

E a prova de que o estilo continua em alta é a eleição da modelo brasileira Raquel Zimmermann como uma das 10 personalidades mais bem-vestidas segundo a revista Vogue América , comandada pela toda poderosa editora Anna Wintour.

"Acho que fui escolhida porque tenho meu estilo próprio, meio rock'n'roll e anos 70. É assim que me visto". Ao perguntar o que usava, ela elencou: "Jaqueta, jeans, camiseta e bota motoqueiro".

Fonte: www.terra.com.br

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade