Indústria nacional investe em perfumes glamourosos

Essências produzidas no país ganham fórmulas mais concentradas

Por DONNA DC em 16/04/2009

   

Tradição brasileira de produzir colônias leves dá lugar a perfumes sofisticados. (Foto: Divulgação, stock.xchng )
Indústria nacional investe em perfumes glamourosos

Os franceses ganharam uma fama difícil de mudar: é lá que são criadas as mais marcantes, famosas e sofisticadas fragrâncias. Se não for francesa, não é boa. Mas, aos poucos, outros mercados se abrem e os finos perfumes ganham novas nacionalidades. Já é possível encontrar também essências made in Brazil glamourosas. Antes, é bom explicar que para ser definida como perfume a composição precisa ter fórmula concentrada, entre 18% e 30% de essência diluída.

Há um mito de que existem fixadores que mantêm o odor por mais tempo. O que determina se um perfume permanecerá ou não mais tempo na pele, no entanto, é a matéria-prima usada. Algumas são voláteis. As fórmulas que usam substâncias animais, como almíscar ou âmbar, levam mais tempo para evaporar do que o perfume de rosas.

No Brasil, a tradição sempre foi produzir colônias e águas de banho, muito mais diluídas e, por isso, menos duradouras. Considerado o segundo povo mais perfumado do mundo – 83% usam perfume –, o brasileiro começa a procurar os chamados Eau de Parfum fabricados por aqui.

– Há técnicas em que coletamos a amostra do cheiro de um ambiente e o reproduzimos em laboratório. Assim, podemos ter um perfume com o aroma das montanhas – exemplifica o perfumista Thierry Bessard.

Um pouco de história

:: Os antigos queimavam ervas e madeiras aromáticas para melhorar o sabor dos alimentos.

:: Nos rituais religiosos, os incensos eram usados como forma de levar perfume aos céus e terem favores atendidos pelos deuses. Aí surge a palavra perfume, que no original latim quer dizer per (através) e fumus (fumaça): pela fumaça.

:: Os egípcios desenvolveram o processo de maceração de substâncias aromáticas. A rainha Cleópatra já se perfumava com as mais finas fragrâncias.

:: Os gregos desenvolveram a arte da perfumaria com óleos perfumados e águas aromáticas.

:: Na busca do elixir da vida e da pedra filosofal, os alquimistas descobriram o álcool concentrado, indispensável na perfumaria moderna.

:: No Brasil, o hábito de se perfumar veio com a Corte Portuguesa, que chegou em 1808. Produtos como águas-de-colônia, loções capilares, creme de barbear proliferavam-se na primeira década do século 20.

Fonte: O Boticário e Givaudan

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade