Deputado Giovani Cherini foi absolvido pelo TSE

Deputado era acusado de manter albergues para captar votos

Por Redação em 19/08/2009

   

nao. (Foto: )

O pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) absolveu na noite de ontem (18), em Brasília, o deputado estadual Giovani Cherini (PDT), acusado de captação ilícita de votos e abuso do poder econômico através do oferecimento de hospedagem em albergues durante o processo eleitoral em 2006. O relator, Ministro Marcelo Ribeiro absolveu o parlamentar pedetista das duas acusações, afirmando não existir provas que incriminem Cherini, que teve sua defesa a cargo do ex-ministro do TSE, advogado José Eduardo Rangel de Alckmin.



Outros seis Ministros acompanharam o relator no seu voto, que foi referendado pelo presidente da Sessão, Ministro Carlos Ayres Britto. Cherini foi acusado pelo Ministério Público Eleitoral do Rio Grande do Sul de utilizar as Casas Solidárias, que recebem pessoas carentes e seus familiares para atendimento na área da saúde em Porto Alegre, Passo Fundo e Santa Maria, para captar votos. O deputado teve os direitos políticos cassados por três anos a contar da data das últimas eleições, prazo que se expira em outubro próximo.



Na defesa do parlamentar gaúcho, Alckmin sustentou que os albergues existem no Estado há mais de 25 anos e que em 1998 o então deputado estadual João Osório foi absolvido por unanimidade pelo TRE gaúcho. Para Cherini, “a benemerência que fizemos é legal. Não arrebanhamos pessoas, como afirmou o Ministério Público Eleitoral (MPE) e não conseguiu provar. As pessoas que utilizam esse serviço são oriundas dos municípios de nosso Estado e por eles indicadas, bem como pelas suas secretarias da saúde e pelo serviço de assistência social dos grandes hospitais da capital e do interior”, diz Cherini. Outro aspecto abordado pelo deputado é que em momento algum foi caracterizado nos autos de seu processo a compra de votos, como insiste o MPE.

Deputado rejeita afirmação de que as casas Solidárias sejam utilizadas para a compra de votos

“A verdade foi reestabelecida. Esperamos que no final todos os parlamentares acusados por ajudar os pobres sejam absolvidos, ainda falta o Pietroski”, desabafou Cherini. O parlamentar do PDT atribui sua absolvição a natureza do serviço prestado para a população carente de diversos pontos do Brasil e até do exterior. “Não temos compromisso algum com quem utiliza esse serviço. É um trabalho que nenhum governo, em qualquer esfera, fez ou fará”, afirma. Foram absolvidos também na sessão de ontem os deputados estaduais Adroaldo Loureiro (PDT) e Aloísio Classmann (PTB) e o deputado federal Pompeo de Mattos (PDT).

   
O Portal ClicSoledade não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Publicidade